“Brasil é um país bizarro”, diz técnico de francês derrotado

Além disso, atleta queixou-se das vaias dos brasileiros e se comparou com o corredor Jesse Owens

A equipe francesa não digeriu bem a derrota de Renaud Lavillenie, que perdeu a medalha de ouro do salto com vara para o brasileiro Thiago Braz.

Primeiro, o atleta queixou-se das vaias dos brasileiros na competição desta terça-feira (16) e comparou a resposta dos torcedores do Engenhão aos alemães nazistas que vaiaram o corredor negro Jesse Owens em Berlim, nos Jogos Olímpicos de Verão de 1936.

Lavillenie se arrependeu de ter feito a comparação:

“Desculpem pela comparação ruim que eu fiz. Foi uma reação acalorada e eu percebi que estava errado. Desculpas a todos.”

Depois, o técnico de Lavilleine fez declarações polêmicas sobre a vitória de Braz sobre o pupilo. Em entrevista ao jornal francês Le Monde, Philippe dÉncausse parecia duvidar do feito de Braz.

“É um país bizarro”, disse, “admirado”, o treinador.

O próprio jornal atribuiu o ouro do brasileiro à possibilidade de intervenção de “forças místicas, talvez do candomblé”.

ATUALIZAÇÃO:

Foi o Le Monde que fez citação a “forças místicas” e “candomblé” e não o treinador.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s