Deputados irão ao Rio acompanhar investigação de estupro

A agenda inclui encontros com o governador, Luiz Fernando Pezão, e com a delegada responsável pelas apurações, Cristiana Bento

Brasília – Deputados da comissão temporária externa de investigação sobre estupro coletivo irão ao Rio de Janeiro na segunda-feira, 6, tratar sobre o caso da jovem de 16 anos violentada no dia 21.

A agenda inclui encontros com o governador, Luiz Fernando Pezão, e com a delegada responsável pelas apurações, Cristiana Bento.

Eles também devem se reunir com o secretário de segurança pública do Rio, José Mariano Beltrame, e com deputados estaduais. “Lá já existem comissões acompanhando o caso, então vamos trocar ideias”, disse a presidente da comissão externa, deputada Soraya Santos (PMDB-RJ).

Em sessão realizada nesta quinta-feira, 2, a comissão aprovou também uma viagem ao Piauí, onde uma adolescente de 17 anos também sofreu estupro coletivo no fim de maio. Porém, essa viagem ainda não tem data definida.

A deputada afirma que o fato de viajarem apenas para Rio de Janeiro e Piauí não significa que as ações da comissão ficarão restritas a esses dois Estados.

“A ideia é nos inspirarmos nesses casos para sugerir propostas para tantas outras mulheres vítimas de abuso em todo o País. A cultura do estupro não começou agora, é da ‘Idade das Pedras’, mas a política pública é a melhor forma de avançarmos na questão.”

Na próxima terça-feira, 7, a comissão irá avaliar sugestões de parlamentares para aumentar a segurança das mulheres em todo o Brasil. Essas sugestões podem virar projetos de lei.

Foram mencionadas na sessão desta terça propostas como implementar delegacias especializadas em atendimento à mulher em todos os municípios com mais de 60 mil habitantes, permitir que ônibus parem fora do ponto ao anoitecer e intensificar a iluminação nas cidades.

As sugestões aprovadas serão anexadas a outros projetos assemelhados, já em tramitação na Câmara, em uma ata que será entregue na própria terça ao Colégio de Líderes.

Segundo Soraya, devem ser incorporados à ata projetos relacionados, também, a crimes cibernéticos, já que as imagens do estupro foram disseminadas nas redes sociais.

A comissão externa tem o poder de fazer projetos “pularem etapas” nas comissões temáticas e irem direto para votação em plenário, caso o presidente da Câmara concorde.

A deputada informou que os trabalhos da comissão estão sendo conduzidos com acompanhamento do Executivo, por meio da nova secretária de Políticas para Mulheres, Fátima Pelaes.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s