Dilma cobra de ministros trabalho com bancadas

Na primeira reunião com sua equipe depois da reforma ministerial, Dilma cobrou fidelidade e um trabalho com as bancadas para evitar novas surpresas no Congresso

Brasília – Na primeira reunião com sua equipe depois da reforma ministerial, a presidente Dilma Rousseff cobrou de seus auxiliares fidelidade e um trabalho com as bancadas para evitar novas surpresas no Congresso, como em votações importantes e em meio ao risco de um processo de impeachment.

“A reforma está feita, foi discutida com partidos e com bancadas. A partir de agora é previsível que seja monitorado com um olho mais preciso pelo ministro Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) a postura de cada bancada nas votações”, disse o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, escalado para fazer um relato à imprensa ao final da reunião.

“A presidente se sente mais confortável de fazer uma cobrança mais sistemática e objetiva… Reciprocidade é bem vida e será demandada”, acrescentou.

Na semana em que o governo enfrentou dois dias seguidos de derrotas no Congresso ao não obter quórum para apreciação dos vetos presidenciais, a reunião serviu, segundo o ministro, para reorganizar a relação política com os aliados.

Wagner minimizou a rebelião de partidos como PSD, PTB e PROS, entre outros, que se retiraram do bloco liderado pelo líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), e causaram a falta de quórum na terça e na quarta-feira.

O ministro creditou o episódio a uma “frustração de expectativas”.

“Reconhecemos que algumas coisas acertadas com parlamentares ainda não foram operacionalizadas por vários motivos, isso será desobstruído”, afirmou. Durante a reunião, Berzoini, responsável pela articulação com os partidos, cobrou dos ministros que agilizem nomeações, liberações de emendas e programas que já foram acertados pelo governo mas ainda não liberados.

Um ministro que participou da reunião disse, porém, que o tom da conversa não foi de cobrança, e que partiu dos próprios ministros a iniciativa de se oferecer para conversar com as bancadas sobre temas mais delicados, como a apreciação, pela Comissão Mista de Orçamento (CMO), do relatório aprovado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) na véspera, que recomenda ao Congresso a rejeição das contas do governo do ano passado.

“A Dilma pediu a ajuda de todos, mas não foi em clima de cobrança. Partiu de alguns ministros mencionar a CMO e dizer que se sentem convocados a ajudar”, disse. Segundo a fonte, Dilma estava “super tranquila” durante a reunião.

O parecer do TCU deve dar fôlego aos partidários da abertura de um processo de impeachment contra Dilma por crime de responsabilidade.

PMDB Maior beneficiado na reforma ministerial, o PMDB foi um dos partidos que não conseguiu colocar todos os seus deputados em plenário para a apreciação dos vetos esta semana.

De acordo com Wagner, os sete ministros do partido se comprometeram a reorganizar o trabalho com a base e planejam reuniões semanais de coordenação para tentar melhorar a adesão dos parlamentares às pautas demandadas pelo governo. Ainda assim, o ministro reconheceu que o Planalto sabe que não poderá contar com apoio integral dos parlamentares da legenda.

“Não teria essa ilusão de que se possa trabalhar a 100 por cento com o PMDB, isso não é real”, disse o ministro. “Eu creio que é uma questão interna do PMDB. Não juntar todos os agrupamentos, porque tem um grupo que sempre teve uma posição contrária à nossa. E muitos têm uma realidade local.”

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s