Dilma critica grampo e diz que Judiciário deve ser apolítico

Sem citar nomes, Dilma também voltou a criticar a decisão do juiz federal Sérgio Moro de autorizar a divulgação de conversas telefônicas dela com Lula

A presidente Dilma Rousseff voltou a atacar nesta sexta-feira a interceptação feita pela Polícia Federal de conversas dela com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com autorização da Justiça, e disse que a politização do Judiciário representa uma “volta atrás na roda da história”.

“A Justiça não pode ser política, nem tampouco pode ser politizada a polícia”, disse Dilma em discurso em cerimônia para entrega de residências do programa Minha Casa Minha Vida em Feira de Santana (BA).

“Nada nem ninguém pode defender uma Justiça ou uma polícia que seja a favor de alguém por critério político.”

Sem citar nomes, Dilma também voltou a criticar a decisão do juiz federal Sérgio Moro de autorizar a divulgação de conversas telefônicas dela com Lula, interceptadas como parte das investigações da operação Lava Jato, que tem Lula como um dos alvos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s