Dilma e Temer no TSE; A defesa de Dilma…

TSE em ação

Maria Thereza de Assis Moura, ministra do Tribunal Superior Eleitoral, determinou nesta quarta-feira que seja dado o início da produção de provas nas ações que pedem a cassação da presidente Dilma Rousseff e do vice Michel Temer. O tribunal investiga fraudes na campanha presidencial de 2014 da chapa dos dois. Serão ouvidos delatores da Lava Jato e também serão solicitadas provas do processo sobre o esquema de corrupção da Petrobras. Além disso, também serão iniciadas perícias em empresas que prestaram serviços para a campanha presidencial vitoriosa e que estão sob suspeita de irregularidades. Caso seja levado a cabo o impedimento de Dilma, as ações de cassação recairão sobre o mandato de Michel Temer.

 

Microcefalia em alta

Em apenas uma semana, o número de casos confirmados de microcefalia cresceu 4,9% e atingiu a marca de 1.168, de acordo com boletim do Ministério da Saúde divulgado nesta quarta-feira. Desses casos confirmados, 192 são bebês que haviam sido diagnosticados positivamente com zika vírus posteriormente. Embora estejam sendo investigadas outras causas possíveis, como sífilis, toxoplasmose e rubéola, o ministério defende que a maioria dos casos está ligada, sim, ao zika.

O governo coloca as torres no Senado

Pela primeira vez após aprovado o processo de impeachment na Câmara no domingo, os ministros da Advocacia Geral da União e da Fazenda, José Eduardo Cardozo e Nelson Barbosa, respectivamente, reuniram-se com um grupo de senadores para discutir a defesa da presidente Dilma Rousseff contra o impeachment. A reunião aconteceu no gabinete do senador Jorge Viana (PT-AC) e participaram senadores do PT e outras legendas, incluindo até parlamentares que, anteriormente, já haviam declarado votos contrários ao governo.

PMDB na presidência

O PMDB indicará o senador Raimundo Lira para presidir a comissão especial que analisará o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Casa. Com cinco vagas na comissão, farão parte da composição José Maranhão (PB), Waldemir Moka (MS), Simone Tebet (MS) e Rose de Freitas (ES). Como maior bancada do Senado, o PMDB tinha direito à presidência ou à relatoria do processo.

Sem limites

O governo federal elaborou um termo de compromisso nesta quarta-feira em que vai exigir das operadoras de internet venda de serviço sem limitação de consumo. A polêmica vem desde fevereiro, quando a empresa de telefonia Vivo anunciou que passaria a cobrar pacotes de franquias de dados dos consumidores. Entre os pontos estão a elaboração de ferramentas de consulta do perfil de consumo do usuário, exigência de pacotes sem limites de dados e o compromisso de não alteração de contratos antigos. O termo não impede que as empresas vendam pacote com franquias de dados, mas exige que haja um pacote ilimitado.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s