Polícia Federal prende ex-ministro Paulo Bernardo

O ex-ministro, a senadora Gleisi Hoffmann e o empresário Ernesto Kugler Rodrigues, de Curitiba foram denunciados pela PGR em maio deste ano

São Paulo – Em nova operação da Polícia Federal, o ex-ministro Paulo Bernardo (Planejamento e Comunicações no governo Lula), marido da senador Gleisi Hoffmann (PT-PR), foi preso nesta quinta-feira, 23, em Brasília.

A ação decorre de fatiamento que ocorreu na investigação que estava no Supremo Tribunal Federal.

O ex-ministro, a senadora e o empresário Ernesto Kugler Rodrigues, de Curitiba foram denunciados pela Procuradoria-Geral da República em maio deste ano. Paulo Bernardo e Gleisi foram denunciados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O inquérito policial concluiu que os dois receberam R$ 1 milhão de propina de contratos firmados entre empreiteiras e a Petrobras. O valor teria sido utilizado para custear as despesas da eleição dela ao Senado em 2010.

.box-leia-tambem {width:45%;float:left;margin:0 15px 15px 0;border: 1px solid #d3d3d4;font-size: 16px;}.box-leia-tambem span {background-color: #d3d3d4; display:block;padding:15px 10px;color:#000;font-family:”Open Sans”;font-size:18px;}.box-leia-tambem ul {margin:0;padding:0 10px 10px;}.box-leia-tambem ul li {padding:8px 0;list-style-type: none;}.box-leia-tambem ul li:before {content: “¦”;padding-right:10px; color: #d3d3d4;}.box-leia-tambem ul li a {color:#b43030;text-decoration: none;}.box-leia-tambem.rodape{display:none;}@media screen and (max-width:640px) {.box-leia-tambem {width: 100%;margin:15px 0;}.box-leia-tambem.rodape{display:block;}.box-leia-tambem.corpo{display:none;}}

A Procuradoria sustenta que o então ministro solicitou a quantia em favor da mulher diretamente ao engenheiro Paulo Roberto Costa, na época diretor de Abastecimento da Petrobras e um dos articuladores do esquema de corrupção na estatal indicado pelo PP.

Preso em 2014, Costa fez delação premiada.

O doleiro Alberto Youssef, que também fez delação, operacionalizou o pagamento.

Segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o doleiro administrava o caixa de propinas do PP de onde saíram os valores em questão.

Texto atualizado às 7h50

.box-leia-tambem {width:45%;float:left;margin:0 15px 15px 0;border: 1px solid #d3d3d4;font-size: 16px;}.box-leia-tambem span {background-color: #d3d3d4; display:block;padding:15px 10px;color:#000;font-family:”Open Sans”;font-size:18px;}.box-leia-tambem ul {margin:0;padding:0 10px 10px;}.box-leia-tambem ul li {padding:8px 0;list-style-type: none;}.box-leia-tambem ul li:before {content: “¦”;padding-right:10px; color: #d3d3d4;}.box-leia-tambem ul li a {color:#b43030;text-decoration: none;}.box-leia-tambem.rodape{display:none;}@media screen and (max-width:640px) {.box-leia-tambem {width: 100%;margin:15px 0;}.box-leia-tambem.rodape{display:block;}.box-leia-tambem.corpo{display:none;}}

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s