Veja como foi a repercussão do impeachment de Dilma

Com 61 votos a favor e 20 contra, Dilma não é mais presidente do Brasil, mas Senado manteve seu direito de ocupar cargos públicos

São Paulo – Dilma Rousseff não é mais presidente do Brasil. Com 61 votos a favor e 20 contra, o Senado julgou a petista culpada por cometer crimes fiscais quando estava no cargo. Uma segunda votação, no entanto, manteve o direito de Dilma de ocupar cargos públicos. 

Veja o momento em que Temer fez seu juramento como presidente da República:

Data: 31/08/2016 – 22:58

EXAME.com encerra a cobertura ao vivo

A equipe de EXAME.com encerra aqui a cobertura ao vivo da repercussão do impeachment de Dilma. Até breve.

Data: 31/08/2016 – 22:52

Manifestantes dispersam

Data: 31/08/2016 – 22:38

Dilma diz que sofreu golpe em sua página oficial no Facebook

Data: 31/08/2016 – 22:27

Protestos continuam firmes e fortes

Data: 31/08/2016 – 22:16

Manifestantes depredam sede do PMDB no RS

A Executiva Estadual do PMDB do Rio Grande do Sul emitiu uma nota de repúdio pela depradação praticada por manifestantes na noite de hoje.

“Por toda sua história, o PMDB não aceita a intolerância e defende o diálogo e a manifestação pacífica”, diz o comunicado. Veja a íntegra:

 

Data: 31/08/2016 – 22:03

Manifestantes ocupam a Esplanada

Data: 31/08/2016 – 21:47

PM avança com bombas de gás

As bombas causaram grande correria e dividiram a manifestação. Parte dos manifestantes desceu a rua Itambé, paralela à Consolação, em direção ao centro.

PM lança bombas de gás lacrimogêneo em manifestantes em SP

Data: 31/08/2016 – 21:37

Confronto entre manifestantes e PM se intensifica em SP

Manifestantes relataram a EXAME.com que a Polícia Militar está atirando com balas de verdade na região de Santa Cecília, em São Paulo.  

Alguns participantes ficaram encurralados. 

Data: 31/08/2016 – 21:19

Protestos seguem por todo o país

Data: 31/08/2016 – 21:12

Rio de Janeiro é palco de atos pró e contra impeachment

Na cidade maravilhosa também há manifestações contra e a favor ao impedimento de Dilma Rousseff. 

O ato foi promovido pela Frente Brasil Popular, que reúne mais de cem entidades e partidos políticos de esquerda. Segundo os organizadores, cerca de 2.000 pessoas participaram do ato.

Rio tem protestos pacíficos contra e a favor do impeachment

Data: 31/08/2016 – 21:10

Ato contra o impeachment em SP enfrenta problemas com PM

Manifestantes caminham pelas ruas de Santa Cecília, em SP.

Data: 31/08/2016 – 21:03

Em SP, manifestantes pedem a saída de Temer

Movimentos sociais protestam contra o o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em frente ao Masp, em São Paulo (SP). Eles pedem a saída do presidente da República, Michel Temer. 

Data: 31/08/2016 – 20:52

O que disse Temer em seu primeiro discurso como presidente

O novo presidente da República, Michel Temer, afirmou em seu primeiro discurso que para colocar o Brasil nos trilhos será necessário adotar medidas impopulares.

Veja a íntegra do pronunciamento do peemedebista.

Temer diz que é preciso mudar CLT para garantir empregos

Data: 31/08/2016 – 20:46

PSDB quer vetar direitos políticos de Dilma

Data: 31/08/2016 – 20:44

O governo brasileiro decidiu chamar seus embaixadores

Bolívia, Equador, Cuba e Nicarágua condenaram a cassação do mandato de Dilma, nesta quarta-feira, e classificaram como um golpe de Estado, mas a Venezuela foi além e suspendeu as relações com o Brasil e retirou “definitivamente” seu embaixador do país.

Embaixadores na Venezuela, Bolívia e Equador podem voltar

Data: 31/08/2016 – 18:59

Rumores de desembarque perdem força

Votos de líderes do PMDB livrando Dilma da inabilitação de direitos políticos não agradaram DEM e PSDB, partidos importantes da base aliada do governo Temer. A relação esfriou imediatamente e os rumores de desembarque surgiram. Após a votação, porém, José agripino e Aécio Neves conseguiram acalmar os ânimos de seus correligionários e a ideia de desmbarque perdeu força.

Data: 31/08/2016 – 18:52

Veja os dias do julgamento de Dilma Rousseff em fotos

Data: 31/08/2016 – 17:34

Temer fará pronunciamento às 20h no rádio e na TV

Um pronunciamento gravado de Temer irá ao ar às 20h, no rádio e na TV. A gravação foi feita no Palácio do Jaburu, cerca de meia hora depois da votação no Senado que aprovou o impeachment de Dilma.

A fala de Temer terá cinco minutos. Na mensagem, ele tentará mostrar a disposição de tirar o Brasil da crise econômica e política e colocá-lo “nos trilhos”.

Pronunciamento de Temer à nação será às 20 horas

Data: 31/08/2016 – 17:26

DEM e PSDB cobram PMDB após manutenção de direitos de Dilma

Senadores do PMDB votaram pela manutenção dos direitos políticos de Dilma e incomodaram o DEM e o PSDB, partidos que apoiam Temer. 

Data: 31/08/2016 – 17:18

Cunha deve se inspirar em Dilma para manter seus direitos

Data: 31/08/2016 – 17:16

Candidatos em São Paulo se manifestam sobre impeachment

O petista Fernando Haddad, candidato à eleição municipal em São Paulo, disse em entrevista à Rádio CBN, que a decisão do Senado abre um precedente para que outros chefes do Executivo sofram o mesmo ataque no futuro. Ele classificou o afastamento de Dilma como um “golpe institucional”.

A candidata Luiza Erundina. do PSOL, também usou a palavra “golpe”, em nota. “Um julgamento em que a sentença estava dada antes do início”, classificou. Para ela, a partir de agora, um “pacote neoliberal que beneficia uma elite política e econômica do País” será colocado em prática. 

Já João Doria, do PSDB, fez uma transmissão ao vivo no Facebook após o resultado no Senado e disse que Dilma “sai pela porta dos fundos pela má gestão administrativa”. “O Senado Federal dá neste momento uma demonstração de espírito democrático”, disse. 

Data: 31/08/2016 – 16:59

Deputado Carlos Marun acredita em inabilitação de Dilma

Data: 31/08/2016 – 16:53

Por que a solenidade será breve?

Data: 31/08/2016 – 16:51

Temer faz juramento e Renan o declara presidente

“Prometo manter. defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil.”

Renan Calheiros declara Michel Temer presidente do Brasil. 

Data: 31/08/2016 – 16:48

Quem está na mesa com Temer

Data: 31/08/2016 – 16:44

Renan Calheiros anuncia que Temer será empossado

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PDMB-AL), anuncia que Michel Temer será empossado como presidente. Temer é aplaudido.

Banda dos fuzileiros navais executa Hino Nacional. 

Data: 31/08/2016 – 16:40

Temer já está no plenário para posse

Data: 31/08/2016 – 16:32

Michel Temer chega ao Senado para posse

Data: 31/08/2016 – 16:26

Para Caiado, houve acordo entre PMDB e PT para 2ª votação

Data: 31/08/2016 – 16:11

Tudo pronto para a posse de Temer no Senado

Data: 31/08/2016 – 16:07

Em dia chuvoso, manifestantes comemoram na Paulista

Data: 31/08/2016 – 15:57

Leia o discurso de Dilma após impeachment na íntegra

Data: 31/08/2016 – 15:51

Posse de Temer acontece às 16h, no Senado

Data: 31/08/2016 – 15:48

Temer já assinou resolução como novo presidente

Data: 31/08/2016 – 15:45

“Eu lutarei incansavelmente”, diz Dilma

Dilma disse que se inspira em Darcy Ribeiro para dizer: “Não gostaria de estar no lugar dos que se julgam vencedores. A história será implacável com eles como já foi em décadas passadas”.

Dilma também enviou um recado às mulheres bradsileiras: “Abrimos caminho em direçao à igualdade de gênero. Nada nos fará recuar”.

E finalizou: “Eu lutarei incalnsavelmente para continuar a construir um Brasil melhor”. 

Data: 31/08/2016 – 15:38

Dilma: “Não desistam da luta”

“Não desistam da luta”, diz Dilma.”A mágoa desses momentos “é péssima conselheira.” E acrescentou: “Nós voltaremos”. 

Data: 31/08/2016 – 15:36

Dilma: “O golpe é misógeno, homofóbico, racista”

“Acabam de derrubar primeira mulher eleita presidenta do Brasil sem que haja qualquer justificativa constitucional”, diz Dilma. “O golpe é contra o povo e a nação. É misógeno, homogóvico, racista.”

Data: 31/08/2016 – 15:32

“É o segundo golpe de estado que sofro na vida”, diz Dilma

“É o segundo golpe de estado que sofro na vida”, diz Dilma Rousseff. “É uma fraude que ainda vamos recorrer em todas as instâncias possíveis”.”

Data: 31/08/2016 – 15:31

AO VIVO: Dilma se manifesta após impeachment

Data: 31/08/2016 – 15:24

Janaína Paschoal acredita que STF não aceitará recursos

A advogada de acusação, Janaína Paschoal, acredita que o STF não aceitará recursos para reverter o impeachment de Dilma.

O advogado de defesa, José Eduardo Cardozo, afirmou que entrará com dois recursos no STF. Um será entregue até amanhã. O outro, na segunda.

Data: 31/08/2016 – 15:08

Cunha espera que “página negra da história seja virada”

Data: 31/08/2016 – 15:06

Fátima Bezerra se recusa a assinar processo de impeachment

Data: 31/08/2016 – 15:01

Base aliada de Temer deve rachar, diz Kátia Abreu

Data: 31/08/2016 – 14:58

Cada senador usou seu critério para votar inabilitação

Data: 31/08/2016 – 14:56

“O PT não está morto”, diz Lindbergh

Data: 31/08/2016 – 14:55

Agripino: “Se PMDB continuar desunido, Temer perde mandato”

Data: 31/08/2016 – 14:51

Cardozo entrará com dois recursos no SFT

Data: 31/08/2016 – 14:39

Como o Senado decidiu que Dilma pode exercer função pública

O Senado decidiu que Dilma não perde seus direitos políticos por 8 anos. Como? 

Na votação, 42 senadores decidiram pela inabilitação de Dilma, 36 optaram pela permanência de seus direitos políticos e 3 se abstiveram. Por isso, não foi alcançada a maioria de dois terços (54 votos) necessária para a aprovação de sua inabilitação. 

Data: 31/08/2016 – 14:33

Caiado esbraveja sobre manutenção dos direitos de Dilma

Data: 31/08/2016 – 14:30

Aécio diz que ambiguidade do PMDB preocupa

Data: 31/08/2016 – 14:18

Sessão do julgamento do impeachment é encerrada

Por 61 votos a 20, Dilma Rousseff perde o mandato de presidente, mas continua habilitada para função pública. 

Data: 31/08/2016 – 14:13

Dilma Rousseff não perde os direitos políticos por 8 anos

Os senadores votaram a seguinte questão: “Ficando, em consequência, inabilitada para o exercício de qualquer função pública pelo prazo de oito anos?”

Data: 31/08/2016 – 14:07

Renan Calheiros é contra inabilitação de Dilma

Renan cita um ditado nordestino: “Além da queda, coice”. Ele declara voto contrário à inabilitação de Dilma. 

Data: 31/08/2016 – 14:02

Posse de Temer será às 16h

Data: 31/08/2016 – 14:01

Articulações de aliados de Dilma e Lula não surtiram efeito

Data: 31/08/2016 – 13:44

Veja reação do Senado ao ouvir placar

Data: 31/08/2016 – 13:38

Senadores decidem ainda sobre direitos políticos de Dilma

Senadores votam, em instantes, sobre direitos políticos de Dilma. Eles devem responder ao questeionamento: “Ficando, em consequência, inabilitada para o exercício de qualquer função pública pelo prazo de oito anos?”

Data: 31/08/2016 – 13:37

Renan Calheiros vota pelo impeachment

Antigo aliado de Dilma Rousseff, Renan Calheiros vota pelo impeachment de Dilma. Até o momento final, ele manteve suspense sobre sua posição. 

Data: 31/08/2016 – 13:35

61 X 20 – DILMA SOFRE IMPEACHMENT

SIM – 61

NÃO – 20

Data: 31/08/2016 – 13:34

Votação dividida inspira aliados de Cunha

Data: 31/08/2016 – 13:31

Começa a votação do impeachment

“Cometeu a acusada, a senhora presidente da República, Dilma Vana Rousseff, os crimes de responsabilidade correspondentes à tomada de empréstimos junto à instituição financeira controlada pela União e à abertura de créditos sem autorização do Congresso Nacional, que lhe são imputados e deve ser condenada à perda do seu cargo?”

Voto SIM aprova a condenação da presidente da República. 

Voto NÃO a absolve e arquive o processo. 

Dois terços dos senadores com voto SIM definem impeachment de Dilma. 

Data: 31/08/2016 – 13:29

Algo está errado no nosso sistema, diz Humberto Costa

“Senado pode cometer grave erro hoje”, diz senador Humberto Costa (PT-PE). “Entedemos que retirar uma presidente eleita sem que se constate a prática de um crime é um grave erro. Erro que o MP do DF qualiificou nas pedaladas fiscais como erro grave do Senado Federal”.

“Não há crime de responsabilidade. Nos últimos 80 anos, o Brasil teve 18 presidentes. 8 foram eleitos diretamente. Três não concluíram seus mandatos. Dilma será a quarta. Alguma coisa está errada no nosso sistema político”, afirmou. 

“Estamos cassando os votos dos que a elegeram em 2014”. Segundo ele, o Senado está tirando das mãos do povo a oportunidade de resolver a essa crise política. 

Data: 31/08/2016 – 13:25

Canalha é quem assaltou a Petrobras, diz Caiado

“Canalhas são aqueles que assaltaram a Petrobras. Canalhas são os que tiraram o dinheiro para que o cidadão não tivesse direito ‘à saúde”, diz Ronaldo Caiado, líder do DEM no Senado. “Estamos vivendo um momento para praticar a maior assepsia da política brasileira”. 

“Esse populismo irresponsável chegará ao fim. Ao final da tarde de hoje, o povo brasileiro respirará alegre”, diz. “tenho a tranquilidade de representar aqui hoje milhões de brasileiros que foram às ruas”. 

Data: 31/08/2016 – 13:19

Isso não é impeachment. É golpe, diz Vanessa

“Fizemos tudo o que poderia ser feito”, diz senadora Vanessa Grazziottin. “Estamos aqui, infelizmente, para o registro não só do momento, mas para o registro da história: a maioria vai cassar uma presidente inocente. Aqui não há nenhum ingênuo. Mas a decisão é política”. 

“Isso não é impeachment. É golpe. Temer não tem legitimidade para governar esse país”, diz. 

Data: 31/08/2016 – 13:16

Vou lutar para anular sessão, diz Lindbergh Farias

“Se os senhores cometerem esse crime contra uma presidente inocente, nunca esqueceremos dessa data”, afirma. “Vou lutar para anular essa sessão. Os senadores que apoiaram esse crime vão para a lata de lixo da história”. 

Segundo ele, Senado Federal está entre a infâmia e a glória. “Nós estamos do lado certo da história e votamos contra esse impeachment”. 

Data: 31/08/2016 – 13:13

Ana Amélia (PP-RS) encaminha voto SIM

Lindbergh Farias é o próximo a encaminhar voto contrário ao impeachment. 

Data: 31/08/2016 – 13:12

Questão sobre impeachment aparece no painel eletrônico

Senadores irão votar essa questão. Última parte da pergunta, que versava sobre direitos políticos, será votada em separado. 

“Cometeu a acusada, a senhora presidente da República, Dilma Vana Rousseff, os crimes de responsabilidade correspondentes à tomada de empréstimos junto à instituição financeira controlada pela União e à abertura de créditos sem autorização do Congresso Nacional, que lhe são imputados e deve ser condenada à perda do seu cargo?”

Data: 31/08/2016 – 13:01

Renan Calheiros parabeniza senadores

O presidente do Senado, Renan Calheiros, pediu a palavra. Ele disse que este processo deixará lições para todos, “para sempre”, e que a democracia é o melhor regime porque “corrige suas próprias imperfeições”. 

Também parabenizou a todos os senadores e senadoras por demonstrarem “o que a política tem de mais elevado”, e pediu desculpas ao país por qulquer ato “mais contundente ou passional”. “As senhoras e senhores praticaram a política no mais alto nível”, elogiou. 

Data: 31/08/2016 – 12:46

Dilma recebe visitas para acompanhar votação

Data: 31/08/2016 – 12:44

Dilma não quer perder direitos para dar aula em universidade

Data: 31/08/2016 – 12:30

Julgamento deve se encerrar em “no máximo uma hora”

Lewandowsi disse que é preciso acabar com o julgamento o mais rápido possível, e que espera que o processo se encerre em “no máximo uma hora”. 

Data: 31/08/2016 – 12:24

Renan garantiu que ajudaria Dilma a não perder direitos

Data: 31/08/2016 – 12:20

Lewandowski decide: Votação será dividida em duas

São Paulo – O impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff e a perda de direitos políticos por oito anos serão decididos em duas votações separadas. A decisão foi tomada há pouco pelo presidente do STF, Ricardo Lewandowski, que conduz o julgamento final.

Com isso, serão duas votações: uma para decidir sobre o afastamento definitivo e outra sobre os direitos políticos da petista após a decisão.

Publicidade

O pedido para a mudança na estrutura do julgamento partiu dos aliados da presidente afastada, que estão preocupados com futuro profissional de Dilma. Segundo interlocutores, ela pretende dar aulas em faculdades públicas.

Se decisão fosse tomada em uma única votação, além do mandato, Dilma perderia o direito para exercer qualquer cargo público (eletivo ou não) por até oito anos.

Data: 31/08/2016 – 11:51

Temer está com Eliseu Padilha e Moreira Franco

Data: 31/08/2016 – 11:49

No Twitter, Dilma pede que senadores tenham “consciência”

Data: 31/08/2016 – 11:45

Collor: “Querem dar interpretação fatiada à Constituição”

Fernando Collor diz que está triste e se manifesta contra a divisão da votação em duas. “A lei é a mesma e teremos dificuldade de aplicar dois pesos e duas medidas”, disse. “Querem dar uma interpretação fatiada à Constituição”, completou. 

Data: 31/08/2016 – 11:36

Aliados de Dilma pedem para votação ser dividida em duas

Aliados de Dilma querem  quer que a questão de que Dilma fique inabilitada para cargos públicos por 8 anos seja votada separadamente. Senadores pedem a palavra para contestar ou justificar o pedido  do PT.

Data: 31/08/2016 – 11:29

Ninguém sabe se Renan Calheiros vota

Data: 31/08/2016 – 11:28

Novo governo trabalhará para retomada rápida, diz Aécio

Data: 31/08/2016 – 11:26

Lewandowski destaca que proporcionou ampla defesa à Dilma

Lewandowski destaca que proporcionou à Dilma uma ampla defesa. Durante 11 horas e 35 minutos, ela respondeu a perguntas de 45 senadores, sem limitação de tempo. Outro dado histórico é que o relatório possui 27.400 páginas. 

Data: 31/08/2016 – 11:17

Começa a sessão final do julgamento do impeachment

Com 15 minutos de atraso, Lewandowski começa a sessão de hoje. O presidente do STF lê o relatório do processo antes da votação. 

Data: 31/08/2016 – 11:16

“Impeachment muda o governo, não a política”, diz NYT

O jornal The New York Times publicou um artigo com o título “Impeachment muda o governo, não a política”, assinado pela jornalista brasileira Carol Pires, da Revista Piauí. O artigo diz que, para muitos brasileiros, “o foco não está mais na política do governo em dificuldades, mas em seus próprios bolsos”.

A jornalista afirma que, o PMDB , ex-aliado de Dilma que passou a chefiar o processo de impeachmentm não está menos envolvido na corrupção da Petrobras do que outros partidos.

Data: 31/08/2016 – 11:02

Humberto Costa já fala sobre aliados de Dilma como oposição

Data: 31/08/2016 – 10:54

Aliados de Dilma definem estratégia para sessão final

Minutos antes da sessão começar, aliados de Dilma estão reunidos para definir suas últimas estratégias. Eles discutem quem serão os dois nomes que farão a defesa antes da votação, por 5 minutos cada um. 

O que se sabe, por enquanto, é que um deles será uma mulher. O tom da defesa, mais técnica ou mais política, também está em discussão.

Entre os nomes cotados pela acusação para defender o afastamento de Dilma, estão Ronaldo Caiado (DEM-GO), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e Aécio Neves (PSDB-MG), os mais ferrenhos ao longo de todo o processo. 

Data: 31/08/2016 – 10:46

Costa: “Se Dilma perder, é porque nunca ofereceu cargos”

Data: 31/08/2016 – 10:37

Senador Sérgio Petecão traz bandeira do Acre para votação

Data: 31/08/2016 – 10:34

Rui Falcão convoca manifestação de apoio à Dilma no Alvorada

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, convocou pelo Twitter uma manifestação de apoio à Dilma em frente ao Palácio da Alvorada. 

Data: 31/08/2016 – 10:17

Deputado Luiz Carlos Hauly elenca “golpes do PT”

Data: 31/08/2016 – 10:15

Para proteger Dilma, Kátia Abreu quer dividir a sessão em 2

A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) apresentará uma questão de ordem para separar a votação em duas partes: uma para cassar mandato, e outra para tornar Dilma inelegível por 8 anos.

A intenção de Kátia é proteger Dilma, pois, da forma como está a acusação, Dilma ficaria impossibilitada de ocupar qualquer cargo na esfera pública. 

Data: 31/08/2016 – 10:05

Senador Waldemir Moka é o primeiro a chegar

Primeiro a chegar no Senado hoje, o senador Waldemir Moka (PMDB-MS) afirmou estar ansioso para este “dia histórico para o país”. Ele vota a favor do impeachment. 

Data: 31/08/2016 – 09:54

Movimentação intensa no Palácio do Jaburu

Na residência oficial de Temer por enquanto, o Palácio do Jaburu, a movimentação é intensa desde cedo. Um aliado de Temer explica: “Muita coisa para resolver. Posse, ajustes do pronunciamento,…”. 

O dia será intenso para Temer. Antes de viajar para a China, hoje à noite, o peemedebista se reúne com ministros para falar de orçamento de 2017, à tarde. 

Data: 31/08/2016 – 09:47

Razões para impeachment são “políticas”, diz The Guardian

Em sua edição americana, o jornal The Guardian explicou aos seus leitores que a justificativa oficial para o impeachment é apenas “pretexto” para retirar Dilma do poder. As verdadeiras razões para o impeachment, segundo o jornal, são “políticas”. 

O jornal também diz que Dilma é “impopular” porque é vista como culpada pelas múltiplas crises que o país enfrenta e se revelou uma líder inapta para enfrentar os problemas.

O The Guardian explica a seus leitores que, atrás da motivação para prosseguir com o processo de impeachment contra Dilma, estão alguns políticos “claramente motivados por um desejo de matar a investigação da Lava Jato, o que Dilma Rousseff se recusou a fazer”. 

Imprensa internacional prevê que votação irá tirar Dilma

Data: 31/08/2016 – 09:29

Com quem Dilma e Temer acompanharão a votação

Data: 31/08/2016 – 09:23

Temer deve tomar posse às 15h, comunica o PMDB informalmente

Um comunicado informal do PMDB circula na Câmara. Se Dilma sofrer impeachment, a posse de Temer está marcada para as 15h.

Às 16h30, deve acontecer uma reunião ministerial, e às 20h, será veiculado na televisão e no rádio um pronunciamento de Temer à nação, gravado. 

Temer deve embarcar ainda hoje para a China, por volta das 21h, para uma reunião do G20. 

Data: 31/08/2016 – 09:16

Dilma deve falar à imprensa após decisão no Senado

Data: 31/08/2016 – 09:09

O que acontece hoje no Senado

O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, que comanda o julgamento do impeachment, definiu que a sessão recomeça hoje às 11h. Ele deve fazer a leitura do resumo do processo com as fundamentações da acusação e da defesa.

Na última etapa antes da votação, dois senadores favoráveis ao afastamento definitivo de Dilma e dois contrários terão cinco minutos cada para encaminhar a votação.

Depois, será realizada a votação, via painel eletrônico. 

São necessários pelo menos 54 votos favoráveis ao impeachment para que a petista seja afastada. Na sessão de ontem, 44 senadores declararam abertamente voto favorável ao impeachment.

Há alguns que ainda não abriram publicamente seu voto, como Fernando Collor. As articulações de aliados de Dilma continuam a todo vapor no Senado. 

Se Dilma for afastada definitivamente, ela ficará inelegível por oito anos a partir do fim de 2018, quando se encerraria o seu mandato. O presidente Michel Temer (PMDB) será notificado e seu governo deixa de ser interino.

Caso os 54 votos não sejam alcançados, o processo será arquivado e Dilma reassumirá o comando do Palácio do Planalto.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s