Janot pede ao STF para investigar Aécio e outros políticos

Pedido da Procuradoria-Geral da República tem como base delação do senador Delcídio do Amaral

São Paulo – O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma série de pedidos para investigar políticos com base na delação premiada do senador Delcídio do Amaral (ex-PT).

Entre os polítticos que podem virar alvos de inquérito estão o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o ministro da Comunicação Social, Edinho Silva (PT-SP), o deputado Marco Maia (PT-RS) e  o ministro Vital do Rêgo, do Tribunal de Contas da União, entre outros. 

As informações são do G1e do jornal O Estado de S. Paulo. De acordo com o site, os pedidos de abertura de investigação foram procolados na última sexta-feira, mas devem ser cadastradas no sistema apenas nesta segunda-feira.

As investigações ainda dependem de autorização do ministro Teori Zavascki, responsável pela Operação Lava Jato no âmbito do STF.

O que Delcídio diz contra Aécio

 Se os pedidos forem acolhidos, o senador tucano será oficialmente investigado por envolvimento no esquema de corrupção em estatais. 

Em sua delação premiada, Delcídio afirma que Aécio Neves recebeu propina de Furnas e que atuou para maquiar dados do Banco Rural   durante CPI Mista dos Correios, que investigou o esquema conhecido como mensalão.

Delcídio admite que “segurou a barra” para que não viesse à tona a movimentação financeira das empresas de Marcos Valério no Banco Rural que “atingiriam em cheio” o atual presidente do PSDB e o deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP). Segundo o senador ex-petista, o acordo foi fechado na sede do governo de Minas Gerais, entre 2005 e 2006, quando Aécio era governador do estado.

O que Delcídio diz contra Edinho Silva 

Delcídio afirma que o atual ministro da Secretaria de Comunicação do governo, Edinho Silva (então tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff) o orientou a usar a empresa farmacêutica EMS para pagar dívidas de sua campanha ao estado do Mato Grosso do Sul nas eleições de 2014. 

“Edinho Silva ligou ao depoente e disse para as empresas credoras apresentarem notas fiscais relacionadas às respectivas dívidas, figurando como tomadora de serviço a empresa EMS”, afirma o texto da delação. 

No entando, as duas empresas para as quais Delcídio devia 1 milhão de reais (FSB e Black Ninja) desistiram de receber da EMS depois que surgiram denúncias de que a farmacêutica estava envolvida em escândalos. 

Em tempo: Edinho Silva já é investigado na Lava Jato por suspeita de receber dinheiro da construtora UTC para a campanha da presidente Dilma Rousseff em 2014.

O que Delcídio diz contra Marco Maia e Vital do Rêgo

De acordo com o depoimento de Delcídio, o deputado  Marco Maia e o então senador Vital do Rêgo cobravam pedágios durante a CPMI da Petrobras para “não convocar e ‘evitar’ maiores investigações contra Leo Pinheiro [ex-presidente da OAS], [o lobista] Júlio Camargo e Ricardo Pessoa [dono da UTC]”, afirma a delação. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s