Líder dos taxistas de SP é investigado por incitar crime

Em vídeo publicado em rede social, ele afirmou que "agora é cacete" na mobilização de taxistas contra a atuação da Uber na capital.

São Paulo – A Polícia Civil de São Paulo instaurou inquérito para apurar possível incitação de prática criminosa do presidente do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores de Empresas de Táxi de São Paulo (Simtetaxi), Antonio Matias. Em vídeo publicado em rede social, ele afirmou que “agora é cacete” na mobilização de taxistas contra a atuação da Uber na capital.

O vídeo foi uma resposta ao prefeito Fernando Haddad (PT), que, na quinta-feira, 28, afirmou que os taxistas “vão desaparecer pela concorrência predatória” caso não aceitem a regularização do transporte individual. Ele disse também que não havia condições de “fiscalizar uma nuvem” em referência ao aplicativo Uber.

Na manhã deste sábado, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) determinou a apuração de incitação de crime praticada pelo sindicalista. Matias será chamado para depor.

A pasta informou também que taxistas que participaram das agressões a motoristas da Uber e passageiros durante a festa da revista Vogue no Hotel Unique, nos Jardins, zona sul da capital, estão sendo identificados por fotografias que registraram a confusão na noite de quinta-feira. Eles serão chamados para depor no 15.º Distrito Policial.

Disputa. Matias disse, no vídeo, que vai ficar “na cola” do prefeito para pedir fiscalização contra a Uber na capital. “Não queira briga com esse presidente. Use seus argumentos de prefeito porque, a partir de agora, 28 de janeiro de 2016, o senhor está na marca do pênalti, porque eu vou estar na sua cola, prefeito Haddad. Não brinque com essa categoria. Respeito é bom e os taxistas merecem. Os munícipes dessas cidades merecem”, disse o sindicalista.

“Chega de palhaçada nessa cidade. Agora é cacete, prefeito”, afirmou. A publicação foi postada em uma rede social horas depois da declaração de Haddad.

Matias acusou ainda o Departamento de Transporte Público (DTP), órgão da Secretaria Municipal de Transportes responsável pela fiscalização, de “corrupto”. “Tem como fiscalizar. Só nós já apreendemos mais de 250 carros junto com fiscais do DTP. Se o senhor não sabe é porque o departamento do senhor é corrupto. Acabou a moleza, prefeito, Haddad”, afirmou.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s