Mais um PM suspeito de participar de chacina em SP é preso

Chacina em Osasco e Barueri ocorreu em agosto deste ano, deixando 19 mortos

São Paulo – A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo confirmou hoje (10) a prisão de mais um policial militar suspeito de participar da chacina de Osasco e Barueri, em agosto.

Ele foi preso no último final de semana e não teve a identidade revelada. De acordo com a secretaria, o PM “foi preso preventivamente acusado de coação a testemunha, nas investigações sobre os crimes de Osasco e Barueri.”

No dia 13 de agosto, uma série de assassinatos deixou 19 mortos nas cidades de Osasco e Barueri, região oeste da Grande São Paulo. Uma semana após os crimes, um policial militar, reconhecido pessoalmente por um sobrevivente da chacina, foi preso.

No dia 8 de outubro, uma operação conjunta das polícias prendeu mais cinco policiais, além do coordenador da Guarda Civil Metropolitana de Barueri. Até agora, foram presos oito agentes de segurança acusados de participar da chacina: 7 PMs e um guarda civil.

A principal hipótese das investigações é a de que a chacina tenha sido cometida por policiais, como vingança pela morte do PM Avenilson Pereira de Oliveira, ocorrida no dia 7 de agosto, em Osasco.

Há ainda a possibilidade de que os homicídios sejam um revide à morte de um guarda civil metropolitano, no dia 12 de agosto, em Barueri.

Na última sexta-feira (6), uma testemunha de chacinas com envolvimento de policiais militares na Grande São Paulo, que vinha colaborando com as investigações desses crimes, foi assassinada em Osasco.

David Sabino de Oliveira Filho, 32 anos, foi morto por volta das 10h30, por disparos de armas de fogo, na Avenida João de Andrade, no Jardim Roberto, em Osasco.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a morte é investigada pelo Setor de Homicídios da Polícia Civil de Osasco.

De acordo com o órgão, Oliveira Filho forneceu informações sobre mortes em série ocorridas nas cidades de Osasco e Carapicuíba nos anos de 2012 e 2013, que resultou em cinco prisões preventivas e na identificação de um sexto suspeito, que está foragido.

A secretaria informou que a vítima foi convidada diversas vezes para participar do Programa de Proteção à Testemunha, mas sempre negou.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s