Menino que morreu no RS não jogava Pokémon Go, diz polícia

Perícia concluiu que jogo não foi instalado no aparelho que Arthur utilizava

São Paulo – A perícia realizada no celular de João Pedro, amigo do menino Artur, que se afogou no Rio Tramandaí na quarta-feira, revelou que o aplicativo Pokémon Go não foi instalado no aparelho, informou nesta quinta-feira a polícia da cidade de Imbé, no Rio Grande do Sul.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Antônio Carlos Ractz Jr, o resultado da perícia comprova que o jogo não teve relação com o acidente.

O menino, de 9 anos, não sabia nadar e morreu afogado ao cair no rio Tramandaí. Na ocasião, a polícia civil tinha dito que constava no histórico da ocorrência de falecimento, registrada pela Brigada Militar, a informação de que as crianças brincavam com o aplicativo no momento do acidente, o que foi negado por João Pedro.

O aplicativo, que chegou ao Brasil no dia 3, tem despertado preocupações entre os órgãos de segurança após relatos de acidentes de jogadores que se machucaram ou entraram em locais perigosos enquanto procuravam por pokémons.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s