Ministro da Saúde nega saída do cargo para apoiar Picciani

Marcelo Castro teria cogitado voltar à Câmara para tentar garantir a manutenção do deputado fluminense no cargo

Brasília – O ministro da Saúde, Marcelo Castro, negou nesta segunda-feira que tenha considerado a hipótese de deixar o cargo momentaneamente para votar na escolha do líder do PMDB na Câmara e ajudar seu aliado Leonardo Picciani (RJ) a manter o cargo na disputa com Hugo Motta (PB).

“Não há decisão sobre isso e não houve discussão com ninguém em profundidade sobre esse assunto”, afirmou o ministro esta manhã em entrevista no Palácio do Planalto.

Aliado de Picciani e indicado pelo líder do PMDB para ocupar o Ministério da Saúde, Castro teria cogitado voltar à Câmara para tentar garantir a manutenção do deputado fluminense no cargo.

A manobra, no entanto, não teria apoio do Palácio do Planalto, informou uma fonte. O grupo de Picciani afirma ter cerca de 45 votos dos 70 peemedebistas votantes, o que lhe daria uma maioria folgada.

Motta, apoiado pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), garante ter fechado novos apoios na semana anterior ao Carnaval. A escolha do líder é na quarta-feira.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s