O que falta para o Rio ficar pronto para as Olimpíadas

Corrida contra o tempo: governo do Rio tem pouco mais de um mês para acabar obras olímpicas. Veja o que ainda falta:

São Paulo – Faltando pouco mais de 40 dias para o início dos Jogos Olímpicos de 2016, a cidade maravilhosa ainda corre contra o tempo para que tudo fique pronto até a data do evento, no dia 5 de agosto. Ainda assim, algumas obras (que já deveriam estar finalizadas), continuam em construção.

Na última sexta-feira, o governador do Rio, Francisco Dornelles, decretou estado de calamidade pública por conta da crise financeira “que impede o cumprimento das obrigações assumidas em decorrência da realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016”.

Em socorro, o governo interino de Michel Temer (PMDB) publicou uma medida provisória nesta terça-feira (21) autorizando a administração federal repassar R$ 2,9 bilhões ao Rio de Janeiro.

Os jogos, que prometem mudar o dia a dia dos cariocas, teve orçamento total superior a 39 bilhões de reais. Do montante total, mais da metade foi repassado em projetos de melhorias na infraestrutura da cidade e à construção de ginásios e arenas.

Além dos projetos exclusivos para as Olimpíadas, outros foram planejados como legado para a cidade – como a expansão das vias de ônibus e metrô, a derrubada da Perimetral, o piscinão contra enchentes e a ampliação do Elevado do Joá.

O prefeito da cidade, Eduardo Paes, afirmou em seu perfil no Twitter que “o estado de calamidade decretado pelo Governo Estadual em nada atrasa as entregas olímpicas e os compromissos assumidos pelo Rio”.

Das obras de infraestrutura, no entanto, três ainda não foram entregues:

A expansão da Linha4-Amarela

Essencial para o transporte dos turistas e torcedores durante o evento, a obra, no entanto, está em 96% de seu andamento – a expectativa é que ela seja entregue até 1ª de agosto. Ainda assim, a conclusão está na linha de risco de não ficar pronta até o início dos Jogos.

Segundo a Secretaria de Transportes do Estado do RJ, ainda faltam 3 estações para a conclusão: Jardim Oceânico, Jardim de Alah e Antero de Quental. Também estão em execução, serviços de instalação de sistemas operacionais, reurbanização pelos canteiros e sinalização em alguns trechos da linha. 

(Divulgação / Site Metro Linha 4)

Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT)

A implantação do novo transporte da cidade foi dividida em algumas etapas. A primeira delas foi concluída no início de junho e já é utilizada pelos cariocas – a conclusão da segunda etapa está prevista para o segundo semestre deste ano. 

Quando todas as linhas forem inauguradas, o VLT vai conectar a Região Portuária ao Centro e ao Aeroporto Santos Dumont.
 

(Fernando Frazão/Agência Brasil)

BRT Transolímpica e Transoeste

Entre os principais legados de mobilidade está a via Transolímpica, que promete encurtar o tempo de viagem dos passageiros em até 60% e vai integrar os principais pontos dos Jogos Olímpicos, como o Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, e o Complexo Esportivo de Deodoro. Sua primeira fase foi inaugurada em 2012. Ainda assim, a construção ainda não foi finalizada e está 98% concluída.

Já as obras de expansão do corredor expresso Transoeste, inaugurado em 2014, seguem em fase finalização entre o Terminal Alvorada e o Jardim Oceânico, onde estão sendo implantados os acabamentos finais e a colocação de grama. 

A extensão Transoeste, que está em 95% de sua conclusão, vai integrar à Linha4-Amarela do metrô do Rio. 

O BRT Transcarioca (Blog do Planalto/Fotos Públicas)

No que tange o Parque Olímpico, coração dos jogos que sediará 16 modalidades olímpicas e nove paraolímpicas, duas instalações ainda precisam ser concluídas:

Centro de Tênis

A última etapa da construção do complexo de 16 quadras deveria ter sido finalizada no terceiro trimestre do ano passado. Pelo menos era o que estava previsto inicialmente.

Com capacidade para abrigar mais de 19 mil pessoas, 93% das obras do Centro de Tênis estão prontas.

O plano da prefeitura, após o fim do evento, é dar condições para que o conjunto de quadras receba atletas, torneios internacionais, alunos de escolas de tênis de projetos sociais, e outros eventos em geral. 

Até lá, ficam pendentes ajustes na iluminação e a montagem das arquibancadas provisórias.

O BRT Transcarioca (Renato Sette Camara/Prefeitura do RJ)

Velódromo 

Ao jornal Extra, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, afirmou que a instalação do ginásio que sediará as provas do ciclismo e do paraciclismo de pista está praticamente pronta e que será concluída a tempo. 

No entanto, a obra que deveria ter sido entregue no quatro trimestre de 2015, consta com 89% de sua conclusão – o acabamento da fachada ainda está em andamento.

Após os jogos – pelo menos na teoria – além de sediar futuras competições, a estrutura (considerada a mais moderna do Brasil nessa modalidade) servirá para o aprimoramento técnico de ciclistas e turmas ligadas a projetos sociais de iniciação esportiva de todo o país.
 

O BRT Transcarioca (Autoridade Pública Olímpica/Flickr/Divulgação)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s