O que o mundo disse sobre os protestos contra Dilma

Tantas pessoas reunidas chamaram a atenção de jornais pelo mundo todo, que comentaram a situação política e econômica do país

São Paulo – Centenas de milhares de pessoas se reuniram neste domingo, 13, para protestar contra a corrupção. As manifestações atingiram dezenas de cidades e, em São Paulo, foram maiores do que as Diretas Já.

Tantas pessoas reunidas chamaram a atenção de jornais pelo mundo todo, que comentaram a situação política e econômica do país.

A insatisfação da população é mais um obstáculo para que a presidente termine o mandato, segundo o The Guardian. As manifestações se somaram à recessão econômica e ao maior escândalo de corrupção do país entre as dificuldades enfrentadas pelo governo.

O alemão Der Spiegel acentuou a presença dos partidos de oposição nos protestos. Geraldo Alckmin e Aécio Neves, que passaram pelos protestos de São Paulo, foram recebidos tanto com palmas quanto com vaias.

O Wall Street Journal destacou que esse é o maior levante desde que a presidente Dilma assumiu. Segundo o veículo, os brasileiros estavam cansados com a presidente e o PT e esperavam que “uma participação maciça iria pressionar legisladores a acusar a líder impopular de ter manipulado contas públicas para mascarar um déficit crescente no orçamento público”.

O New York Times sublinha o escândalo de corrupção, que “envolveu empresas brasileiras de construção que se beneficiaram de contratos lucrativos com o governo”. O título estampado no jornal afirma que o aumento da raiva da população no Brasil se derramou para as ruas.

Já para a BBC, o foco dos manifestantes era a saída de Dilma da presidência. Ainda que ela tenha dito que não tem nenhuma intenção de renunciar ao cargo, “seus opositores esperam que uma grande participação nas ruas irá levar ao seu impeachment”.

Os atos nas ruas foram pacíficos e festivos, na visão da Bloomberg. Com as cores verde e amarelo e cantos “que ficaram na internet”, “a atmosfera era geralmente festiva e livre da violência que alguns temiam se houvesse confrontos entre os grupos políticos.

A Al Jazeera mencionou a presença do pixuleco, boneco inflável gigante do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, em Brasília. Segundo o veículo, o ex-presidente estava vestindo uma roupa listrada e uma bola de ferro amarrada à perna.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s