Odebrecht diz ser “provável” ter falado com Lula e Dilma

No depoimento, o empresário disse ainda que provavelmente teve "conversas republicanas" com a presidente sobre a estatal

Rio de Janeiro – O empresário Marcelo Odebrecht, preso no âmbito da operação Lava Jato, descartou nesta terça-feira em depoimento à CPI da Petrobras fazer um acordo de delação premiada ao dizer que não vai “dedurar” pessoas no processo, e disse que ser “provável” que tenha conversado com a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a petroleira.

Indagado por um parlamentar da comissão sobre um possível acordo de delação premiada, o empresário disse que para “dedurar é preciso ter o que dedurar”, acrescentando que tem valores morais contrários a entregar as pessoas.

“Primeiro, para alguém dedurar, ele precisa ter o que dedurar. Esse é o primeiro fato. Isso acho que não ocorre aqui. Segundo, acho que é uma questão de valor moral”, afirmou.

No depoimento, o empresário disse ainda que provavelmente teve “conversas republicanas” com a presidente sobre a estatal. A respeito de Lula, disse ser “provável e mais do que natural” terem falado a respeito da petroleira.

“Você está falando de duas das maiores empresas brasileiras, que têm uma relação muito forte em diferentes setores, e é provável que se eu encontrar com uma amigo, um empresário, um político, qualquer um, venha à tona o tema Petrobras e o tema Odebrecht”, disse o executivo a parlamentares em Curitiba, onde está preso há quase três meses por acusações de envolvimento em esquema bilionário de corrupção.

“É mais do que natural e provável que com qualquer pessoa esse tema venha. Não me lembro especificamente de nenhuma conversa específica, mas é provável”, acrescentou.

Marcelo Odebrecht é uma das figuras empresariais e políticas de maior destaque envolvidas no escândalo de corrupção na Petrobras, no qual empreiteiras superfaturaram obras em troca de pagamento de propinas.

O empresário se recusou a responder diversas perguntas de deputados alegando que o conteúdo constará de sua defesa contra as acusações, às quais disse não ter tido acesso total até o momento.

Segundo ele, a Odebrecht tem sofrido durante o processo deflagrado pela Lava Jato, mas permanece firme.

“Não resta a menor dúvida que nesse processo todo que existe, obviamente, a empresa sofre. Projetos eventualmente não são iniciados”, disse.

“Mas fora a questão de que poderíamos estar gerando muito mais empregos ou preservando muito mais empregos, eu posso garantir que a empresa continua absolutamente sólida.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s