Os elefantes na sala

Se a ideia de Michel Temer era ir à China com a vida resolvida, enganou-se. O novo presidente voou deixando para trás um mundaréu de pontas soltas. Dois problemas em especial voltaram à tona ontem, impulsionados pela manobra que manteve os direitos políticos de Dilma e abriu um racha na base de apoio do governo.

O primeiro: o retorno do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha à pauta do governo. Ontem, o PMDB votou em peso pela manutenção dos direitos políticos de Dilma Rousseff. A manobra arquitetada pelo senador Renan Calheiros pode abrir brecha para recurso semelhante na votação da cassação do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, marcada para o dia 12 de setembro. É uma possibilidade que caiu como uma bomba no PSDB. “Abriu-se um precedente”, diz Leandro Gabiati, cientista político da Dominium Consultoria.

A segunda dor de cabeça deriva da primeira. Há quatro ações do PSDB no Tribunal Superior Eleitoral, que podem cassar o mandato recém-adquirido por Temer. A chapa Dilma/Temer é acusada de abuso de poder político e econômico por ter sido supostamente beneficiada por doações de empresas envolvidas no esquema de corrupção na Petrobras.

O PMDB luta para que as contas sejam divididas entre presidente e vice. Dessa forma, Temer se desvincularia de empreiteiras que preparam delação premiada nas investigações da Operação Lava-Jato, caso da OAS, ou que já confessaram ter entregue quantias a pedido do PT para manter contratos com o poder público, como a UTC. Num limite, se não houver desmembramento, a chapa inteira pode ser condenada e Temer, cassado.

Uma esperança é que a ação seja retirada… justamente pelo PSDB. “O autor tem o direito de desistir da ação, mas o Ministério Público pode assumir o polo ativo dessas ações e ficar encarregado”, afirma o especialista em Direito Eleitoral Alberto Rollo. Não há prazo definido para o julgamento. Mas um coisa é certa: enquanto a ação estiver em aberto, e a Lava-Jato estiver nas ruas, ninguém do novo governo dormirá totalmente tranquilo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s