Pedido de prisão tenta influenciar Conselho, diz Cunha

O presidente afastado da Câmara disse, ainda, que não conhece o conteúdo do pedido e, por isso, não pode contestar as motivações

Brasília – O presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse nesta terça-feira ver com “estranheza” o pedido por sua prisão feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que classificou de “absurdo”.

Em nota, Cunha também disse que o pedido de prisão feito pelo procurador-geral tem o objetivo de influenciar o Conselho de Ética da Câmara, que também nesta terça-feira pode votar parecer que recomenda a cassação do mandato do presidente afastado por quebra de decoro parlamentar.

O presidente afastado da Câmara disse, ainda, que não conhece o conteúdo do pedido e, por isso, não pode contestar as motivações.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s