PM do Rio confirma furto de 38 armas do comando geral

O presidente da CPI das Armas ficou surpreso porque o assalto ocorreu dentro do prédio do comando da corporação, em local onde sequer havia câmeras de segurança

A Corregedoria Interna da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMRJ) confirmou hoje (29) que no dia 29 de maio foram furtadas 38 armas da Reserva Única de Material Bélico do Quartel General da corporação, na Avenida Evaristo da Veiga, centro do Rio. Foram levadas 32 pistolas automáticas calibre 380 e seis revólveres calibre 38, além de 38 carregadores para as pistolas.

O pedido de informações sobre o desaparecimento das armas foi feito pelo presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Armas da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), deputado estadual Carlos Minc.

“Segundo a corregedoria, foram roubadas por PMs e devem estar agora nas mãos de bandidos, de marginais, assaltando a população e matando policiais militares, o que é inadmissível”, disse Minc.

O presidente da CPI das Armas ficou surpreso porque o assalto ocorreu dentro do prédio do comando da corporação, em local onde sequer havia câmeras de segurança. “É um estímulo ao roubo e à impunidade. E há uma lei da Alerj que obriga a ter câmeras de monitoramento. Aliás, foi uma recomendação de outra CPI das Armas, realizada há cinco anos.”

A ajudante geral da Corregedoria Interna, coronel Claudia Lovain de Menezes Cardoso, informou no ofício que existem “indícios de que o furto foi praticado pelos policiais militares que trabalhavam na Reserva Única de Material Bélico, já que o acesso é restrito a quem trabalha no local e a propriedade dessas armas era de conhecimento somente deles”, acrescentou Carlos Minc.

Após o furto, foi instaurada uma averiguação sumária, concluída com a identificação dos policiais militares que trabalhavam no local. A oficial superior não informou no documento o número de militares suspeitos pelo furto.

De acordo com a CPI das Armas da Alerj, o recente furto é mais um indicativo da precariedade da fiscalização do armamento utilizado pelas forças de segurança no Rio de Janeiro.

Segundo a comissão, em dez anos, entre 2005 e 2015, foram extraviadas ou roubadas 17.662 armas de empresas de segurança privada (que são controladas pela Polícia Federal), 1.016 da Polícia Civil e 645 da Polícia Militar.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s