Pós-Cunha: a força do Centrão

Eduardo Cunha se foi, e uma guerra pela presidência da Câmara começou. O emergente Centrão, que reúne 13 partidos e 260 deputados, sai na frente na corrida. O bloco tem pelo menos dois nomes fortes: Rogério Rosso (PSD-DF), que comandou a comissão de impeachment, e Beto Mansur (PRB-SP), atual membro da Mesa da Casa e até pouco tempo aliado de Cunha.

Entre os maiores partidos, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é um dos cotados, mas tem muitos desafetos na Câmara. Analistas veem com poucas chances as candidaturas de Antonio Imbassahy (PSDB-BA), Heráclito Fortes e Julio Delgado, ambos do PSB. A zebra pode ser o deputado catarinense Esperidião Amin, do PP, que reúne experiência e trânsito entre diversos grupos parlamentares.

O governo é o maior interessado na sucessão. Para o Planalto, ter um aliado na presidência da Câmara aumenta as chances de aprovar medidas importantes, como projetos que tratam da reforma previdenciária, o teto de gastos públicos, a flexibilização das leis do trabalho, entre outros.

Para o PMDB, cujo candidato é o paranaense Osmar Serraglio, pode ser interessante ver o Centrão chegar ao poder. Quem assumir a Câmara hoje terá apenas um mandato-tampão até 2017. No ano que vem, novas eleições ocorrem. O maior partido da Câmara pode adotar a tática de apoiar algum nome agora para cobrar um mandato completo no próximo ano.

O risco, neste caso, é que a iminência de conquistar o poder abale a principal característica do bloco: a união. “Se o Centrão não lidar com muito tato a sucessão da presidência, pode rachar”, diz o cientista político André Cesar Pereira, da Hold Assessoria Parlamentar. Seria péssimo para o governo, que precisaria articular isoladamente com uma miríade de partidos. Por outro lado, um Centrão fortalecido pode tentar impor pautas que vão na contramão da necessidade de ajuste do governo. A eleição está marcada para a próxima terça-feira.

Confira os 12 candidatos à presidência da Câmara:

PSB:

Hugo Leal (RJ)

Júlio Delgado (MG)

Heráclito Fortes (PI)

PMDB:

Osmar Serraglio (PR)

PSDB:

Antônio Imbassahy (BA)

DEM:

Rodrigo Maia (RJ)

José Carlos Aleluia (BA)

PSD:

Rogério Rosso (DF)

PP:

Esperidião Amin (SC)

SD:

Carlos Manato (ES)

PRB:

Beto Mansur (SP)

PR:

Fernando Giacobo (PR)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s