PSDB é ingrato e perdeu chance do impeachment, diz Cunha

Leitão se encontrou com o peemedebista logo que o líder da bancada, Carlos Sampaio (SP), formalizou a intenção de pedir em plenário seu afastamento

Brasília – Informado em “tempo real” sobre a entrevista coletiva da bancada do PSDB anunciando rompimento na manhã desta quinta-feira, 12, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), descarregou sua fúria sobre o vice-líder da bancada tucana, Nilson Leitão (MT).

Segundo testemunhas que presenciaram o encontro com o tucano, Cunha chamou o PSDB de “ingrato” e disse que a oposição jogou fora a oportunidade de ver aberto o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

Leitão se encontrou com o peemedebista logo que o líder da bancada, Carlos Sampaio (SP), formalizou a intenção de pedir em plenário seu afastamento.

O vice-líder foi conversar com Cunha sobre a instalação da CPI da Funai, mas logo que abriu a porta foi “metralhado” com uma série de adjetivos negativos.

Segundo as testemunhas, Leitão ouviu as reclamações e disse que ele deveria procurar o líder Sampaio.

Na avaliação de Cunha, os tucanos foram ingratos porque a oposição nunca ganhou tanto protagonismo numa legislatura como agora.

A oposição foi contemplada com espaço na Mesa Diretora, com funções de destaques nas CPIs, com votações de interesse das bancadas oposicionistas e com um amplo palanque no plenário para atacar e derrotar o governo.

Aliados de Cunha disseram que o peemedebista ficou “enfurecido” e “revoltado” com a postura do PSDB.

“O Eduardo Cunha reagiu com indignação. Achou um absurdo”, revelou o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP).

Paulinho disse que no almoço de terça-feira com o peemedebista, o PSDB teve uma postura diferente da anunciada nesta quarta.

Agora ele já não sabe se Cunha anunciará mesmo nesta semana um novo rito para o processo de impeachment, como havia prometido.

“Acho que foi mal (a ruptura) porque, no meu ponto de vista, abriram mão do impeachment. Jogaram o Cunha no colo do PT”, avaliou Paulinho.

Os oposicionistas estavam insatisfeitos com a postura ambígua de Cunha sobre a abertura do processo contra Dilma.

Segundo líderes de oposição, toda semana o peemedebista vinha apenas dando sinais de que poderia deferir o pedido de afastamento de Dilma, mas não dava um passo firme em direção a isso.

“Ele sempre acena com a possibilidade”, contou um oposicionista reclamando da “enrolação” do presidente da Câmara.

“O Cunha estava escolhendo o melhor caminho para se salvar. Chega na hora do Cunha decidir e o PSDB pula do barco? Entrega ele ao PT?”, criticou um deputado próximo do peemedebista.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s