Queixas contra polícia aumentam e Alckmin diz que vai agir

Segundo afirma, ainda é preciso identificar os motivos que explicam a alta das queixas e "agir sobre a causa"

São Paulo – Após o número de denúncias de má qualidade no atendimento das Polícias Civil e Militar subir 42% em 2016, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que vai mapear os locais onde há reclamações para melhorar o serviço prestado à população.

Segundo afirma, ainda é preciso identificar os motivos que explicam a alta das queixas e “agir sobre a causa”.

Relatório da Ouvidoria da Polícia, obtido pelo Estado, aponta que houve 772 reclamações de mau atendimento entre janeiro e junho de 2016, ante 544 ocorrências no mesmo período do ano passado.

Enquanto as queixas contra a Polícia Civil subiram 18% em São Paulo, passando de 186 para 220, as denúncias envolvendo PMs aumentaram 53%, de 351 para 537 casos.

Outros 15 registros envolvem as duas polícias. A alta ocorre em menor escala na capital, onde os casos subiram 11%.

Morador da Vila Maria, na zona norte, o analista de order entry Luiz Henrique Tiberio, de 29 anos, conta que ligou para o 190, mas não conseguiu acionar a PM, quando o barulho de uma festa interrompeu o sono da mãe de 65 anos e da avó, de 83, em uma madrugada de sábado.

“Eu fiquei mais de três horas esperando uma viatura que não apareceu. Também abri três boletins de ocorrência na internet, e nada”, diz. “A gente se sente desarmado, prejudicado, inseguro. Quando precisamos do serviço, não tem.”

Para Alckmin, o Estado ainda precisa “detalhar” melhor as denúncias.

“Vai ser verificado onde é a reclamação, se é um distrito (policial), onde é, qual a razão”, afirmou nesta quarta-feira, 31, ao inaugurar uma obra de segurança hídrica em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. “Vamos verificar a causa da reclamação e agir sobre a causa.”

De acordo com o ouvidor das polícias, Julio César Fernandes, qualquer falha no serviço prestado pela polícia pode ser denunciada para a Ouvidoria, que a classifica como “má qualidade no atendimento”.

Segundo afirma, o problema mais comum é demora no atendimento, tanto da Polícia Militar quanto da Civil. Para ele, o aumento do índice está associado à falta de policiais, principalmente nas delegacias.

Alckmin também afirmou que o Estado investe na contratação de novos policiais. “Tivemos só neste ano, de crise e dificuldade financeira, 686 policiais civis e polícia cientítica, e 2.808 policiais militares a mais”, disse.

“Foram contratados com grande sacrifício para poder melhorar esse atendimento para a população.” Nesta quarta, a PM também publicou no Diário Oficial do Estado autorização para abertura de concurso público com 5.400 vagas para soldado.

Categorias

O relatório da Ouvidoria inclui outras categorias, como “constrangimento”, “agressão”, “lesão corporal” e até “homicídio” cometidos por policiais.

Ao todo, são 39 classificações. No geral, as queixas feitas ao órgão subiram 10% neste semestre. o governador de São Paulo, no entanto, destacou alguns bons resultados.

“Nós tivemos uma redução de 27% nas denúncias contra corrupção passiva. Caiu 17% infração disciplinar e caiu 11,9% denúncia de prevaricação”, disse.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s