Temer diz ao TSE que doações de campanha foram legais

Segundo fontes com conhecimento da defesa, Temer aponta que tucanos receberam doações das mesmas empresas que doaram à chapa Dilma-Temer

Brasília – A defesa do vice-presidente Michel Temer afirmou ao Tribunal Superior Eleitoral que todas as doações recebidas pela campanha que o elegeu ao lado da presidente Dilma Rousseff cumpriu as normas legais e apontou os recursos recebidos pelo PSDB, partido do adversário de Dilma em 2014, Aécio Neves, e autor da ação que pede a cassação da chapa vencedora.

Duas fontes com conhecimento da defesa do vice-presidente no processo, que corre em segredo de Justiça, disseram à Reuters que a peça de defesa de Temer aponta que os tucanos receberam doações das mesmas empresas que doaram à chapa Dilma-Temer e que são investigadas pela operação Lava Jato, para demonstrar que doações não podem ser atribuídas a interesses escusos.

“Parte do pressuposto da ação é de que as doações só ocorreram em troca de obras. O PSDB recebeu 40 milhões de reais das mesmas empresas. Se são resultado de obras tocadas pela Petrobras e licitações vencidas em casos de corrupção, porque o PSDB recebeu, se não tem nenhuma influência na Petrobras?”, questionou uma das fontes.

“No nosso entendimento essas doações representam muito mais um interesse em participar do governo de 2014 a 2018 ou não teria razão para as empresas doarem ao PSDB.”

A defesa argumenta que não é possível “demonizar” as doações legais por parte das empresas, mesmo as que tocam obras no governo, que todos os registros exigidos por lei foram feitos e que o PSDB está tentando reverter o resultado das eleições sem apontar uma ilegalidade. “Para gerar uma cassação tem que ter um reflexo eleitoral e não houve nenhum”, disse a fonte.

Dilma 

A defesa da presidente Dilma Rousseff no mesmo processo deve ser entregue até esse final de semana e, apesar de estar sendo feito em separado, os advogados do PT e do PMDB estão trocando informações e o texto deve seguir a mesma linha.

Nesta quinta-feira, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, afirmou que a defesa  de Dilma “porá os pingos nos is”. “Não há como se imaginar que nesse processo se possa fazer aquilo que a oposição quer. Desde o dia seguinte da eleição a oposição busca de todas as formas evitar que a vitória nas urnas se concretize. Pediram recontagem de votos, depois disseram que as maquininhas não estavam funcionando, tentaram a rejeição das contas”, afirmou.

“São vários expedientes que estão sendo utilizados e esse é só mais um. A defesa coloca os pingos nos is. Deixa claro que não há nenhum fato, absolutamente nenhum ,que possa trazer nenhuma preocupação de nenhuma sanção a presidente Dilma Rousseff”.

A ação do PSDB argumenta que a campanha de Dilma cometeu abuso de poder político e econômico e cita entre as supostas irregularidades o que aponta como uso eleitoral dos discursos de Dilma em rede nacional e o que afirma ser o pagamento de propina disfarçada como doação eleitoral por empresas investigadas na Lava Jato.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s