TRE vê abuso de poder em distribuição de ingressos olímpicos

O juiz de Fiscalização da Propaganda Eleitoral, Marcello Rubioilli, disse que a distribuição poderia configurar “abuso de poder político”

A prefeitura do Rio de Janeiro teve três programas de distribuição de ingressos para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 suspensos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Cerca de 550 mil entradas seriam entregues a servidores municipais, alunos da rede pública e pessoas com deficiência.

O juiz de Fiscalização da Propaganda Eleitoral, Marcello Rubioilli, disse que a distribuição poderia configurar “abuso de poder político”, com governantes usando recursos públicos e o fato de estarem no poder para se beneficiar na eleição municipal, que ocorrerá em outubro.

Além de suspender os programas, atendendo a pedido do Ministério Público Eleitoral, Rubiolli deu dois dias para o Comitê Organizador Rio 2016 e a prefeitura do Rio explicarem se foi feita compra ou reserva desses ingressos, o valor de cada um e os critérios de distribuição. Em nota, a prefeitura confirmou que foi notificada da decisão e disse que esclarecerá os fatos.

No dia 11 de maio, o prefeito Eduardo Paes disse que não tinha ingressos dos jogos para doar a ninguém.

“Até bom eu falar isso para ninguém vir me pedir”, declarou, à época, em entrevista à imprensa, durante inauguração do Pavilhão 6, na Barra, uma das estruturas das competições.

No entanto, entre 30 e 31 de maio, os programas Ingresso Carioca, Ingresso Para Todos e Aluno Rio 2016, foram anunciados pelo então secretário de governo, Pedro Paulo, que será candidato à prefeitura em outubro.

“O Ingresso Carioca é uma forma de retribuir aos servidores da prefeitura, que tanto contribuem para a realização dos Jogos Rio 2016. Vamos dar os ingressos para assistirem ao segundo maior evento do mundo. E nós somos campeões paralímpicos. Sem dúvida, é um evento único que vai tocar o coração de cada carioca. É a superação da superação. A experiência que se tem em uma Paralimpíada, a provocação que isso atrai para a cidade, para o país e o mundo, de fazer pessoas pensarem sobre o significado de cidade inclusiva, é a nossa intenção”, disse Pedro Paulo no dia do lançamento dos programas. 

Programas

Os ingressos para os servidoresseriam sorteados entre os que se cadastrassem no site Ingresso Carioca e que enviassem fotos de divulgação sobre a campanha.

Já os estudantes beneficiados seriam escolhidos pela Secretaria de Educação entre aqueles com os melhores rendimentos escolar.

As pessoas com deficiência contempladas, segundo o site do programa, seriam escolhidas entre os frequentadores de centros de referência.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s