Como usar o storytelling na entrevista de emprego

Falar sobre sua experiência de forma atraente e relevante é essencial para se destacar dos demais diante dos recrutadores. E a técnica de storytelling pode ajudar você nisso

A palavra pode estar na moda agora, mas a prática do storytelling é algo que herdamos de nossos ancestrais e que nos diferencia das demais espécies: a capacidade de nos comunicar e de transmitir conhecimento verbalmente. Em uma tradução livre do inglês, o termo significa “contar uma história”. Mas, hoje, seu significado está cada vez mais atrelado à habilidade do indivíduo de narrar conceitos e propósitos de forma relevante para o ouvinte.

Lembre-se, por exemplo, das vezes em que você sentiu vontade de sair correndo de uma conversa que não acabava e não avançava para lugar nenhum. “É disso que estamos falando: técnicas de narração precisam reconduzir as pessoas ao estado natural da comunicação interpessoal: escuta, compreensão, empatia, resposta clara, manutenção fluída do diálogo”, afirma a escritora e narradora de histórias Penélope Martins, estudiosa do tema há 12 anos “É preciso alinhar o discurso para que a comunicação seja objetiva e agradável de ouvir.”

 

História profissional de sucesso

Como isso pode ser útil na carreira? Em um mundo em que as relações estão cada vez mais superficiais e o conteúdo – principalmente o digital – precisa ser absorvido de forma rápida, a relevância da comunicação tem ficado em segundo plano.

Nas empresas, das grandes às pequenas, a queixa é sempre a mesma: a falta de comunicação. “Apesar de ainda não saberem exatamente o que é o storytelling, as pessoas têm um interesse cada vez maior na técnica e nas oportunidades e possibilidades que ela oferece”, diz o consultor e professor Leandro Waldvogel. Estudioso do tema há mais de 15 anos, Waldvogel explica que o storytelling torna a mensagem relevante e memorável – e nada melhor do que ser essas duas coisas em uma entrevista, certo? “Quando você está preparado para contar quem é, para narrar sua história de uma forma estruturada, passa segurança sobre o que está falando e, automaticamente, se sente autoconfiante”, afirma o consultor. “O nervosismo fica de lado e você começa a ganhar poder com a audiência.”

 

Storytelling X oratória

As duas técnicas são complementares, mas diferentes. O estudo da oratória traz um conjunto de habilidades que envolve a voz, a postura e os gestos feitos frente ao público. Já o storytelling tem a ver com a relevância da mensagem que está sendo transmitida. Ou seja, não adianta oferecer uma performance perfeita para o entrevistador se você não for lembrado pela história e pelo conteúdo da entrevista. “As pessoas estão centradas em criar conteúdos que são importantes para elas mesmas. O que o storytelling faz é colocar o foco da comunicação no outro, no problema do outro, e, a partir disso, criar os benefícios para quem conta essas narrativas”, diz Waldvogel.

Não existe uma única maneira de aprender ou aplicar o storytelling na rotina, mas direcionar as atenções para o conteúdo a ser transmitido e a relevância para sua audiência são pontos fundamentais. “É preciso vivenciar o discurso e o diálogo”, afirma Penélope. “A capacidade narrativa se constrói em todos os setores da vida.”

 

Técnica e prática

Para dar os primeiros passos na utilização do storytelling, o formato mais comum e aplicado pelas consultorias tem a seguinte estrutura:

 

PASSO 1 – Saiba qual mensagem você quer transmitir

Sua audiência – seja o entrevistador, seja um grupo de pessoas – precisa saber por que você está ali e por que o conteúdo que vai passar é importante para eles. No caso da entrevista, se quiser comunicar sua capacidade de liderança, nada melhor do que contar uma situação em que se saiu bem nesse quesito.

 

PASSO 2 – Mostre qual problema pode resolver

O candidato precisa passar segurança ao transmitir a relevância de sua vivência para a vaga de emprego. “As pessoas normalmente não têm orgulho da própria história. Mas, quando você aprende a dar valor à sua experiência, o medo de ser julgado fica menor do que a vontade de contar seu conteúdo”, diz Waldvogel. Não poupe o entrevistador dos detalhes daquela ideia que você deu ao seu ex-chefe e que resultou em corte de gastos e aumento de receita.

 

PASSO 3 – Apresente uma solução

Conectar uma experiência profissional a uma necessidade da empresa para a qual está se candidatando é uma forma de conseguir atenção. Pesquisou sobre a companhia e viu que ela está passando por um momento de crise nas vendas? É a deixa para contar de que forma resolveu um problema parecido quando estava trabalhando em outro lugar.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s