Líderes em crise

Autor do livro “The Leadership Contract” acredita que existem muitos cargos de liderança para poucos líderes reais

Em visita recente ao Brasil, o executivo americano Vince Molinaro, diretor global de soluções de liderança da consultoria LHH e autor do livro The Leadership Contract (ainda sem edição no Brasil) conversou com VOCÊ S/A sobre liderança. Confira a seguir. 

Como avalia a qualidade da liderança no Brasil?

Participei de um evento em São Paulo para executivos e percebi a mesma questão que tenho visto nos Estados Unidos e em países da Europa. Temos muita gente com títulos de liderança e remuneração, mas que não lidera de fato. Fizemos uma pesquisa e percebemos que 73% das empresas se queixam que seus líderes não se responsabilizam pelas decisões. 

Quais as causas desse quadro?

O contrato de liderança se assemelha aos termos e condições dos contratos online – 93% das pessoas clicam em “concordo” sem ler. Fazem isso para receber uma promoção, ganhar mais dinheiro e prestígio. Não estou julgando esses motivos, mas é preciso entender que existem termos e condições. Primeiro, liderança é uma decisão com que você precisa estar comprometido. Segundo, liderança é uma obrigação e é preciso viver de acordo, ser um modelo para as pessoas. Terceiro lugar, é preciso firmeza. Vemos muitos líderes com medo e, às vezes, precisamos dar feedback, gerenciar um funcionário que está tendo um desempenho insatisfatório, tomar decisões impopulares. Muitos têm medo, pois querem que os funcionários gostem deles. Por fim, liderança é comunidade. Antigamente, bastava uma liderança forte no topo. Hoje, é preciso ter lideranças fortes em todos os níveis.  

O que significa ser um líder hoje?

Ser líder só é fácil quando se é um líder medíocre. As expectativas são muito grandes: é preciso engajar funcionários, alinhar as equipes com a estratégia, gerar cultura, gerenciar relações com as partes interessadas dentro e fora da empresa, liderar a mudança e lidar com a imprevisibilidade. Quando trabalha com um líder admirável, por quem se tem respeito, o funcionário tende a dar tudo de si. Mas, se a pessoa é medíocre, então o nível de engajamento não é tão grande. O desempenho cai. Por isso, os, líderes precisam ser responsáveis e ter comprometimento.

Esta matéria foi publicada originalmente na edição 214 da revista Você S/A

Você S/A | Edição 214 | Maio de 2016 

Assine

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s