Banco Central cobra de instituições financeiras melhora

Em uma instituição financeira, a central de atendimento deveria atuar como uma parceira

Mais de 551 mil atendimentos ao cidadão foram realizados pelo Banco Central (BC) de 2015. Destes, 343 mil foram reclamações. Só no primeiro semestre de 2016 foram registradas quase 170 mil queixas, o que aponta para cenário semelhante ao do ano passado. Entre as principais críticas está a ausência do custo efetivo total da operação nos contratos de crédito consignado, problemas na portabilidade do consignado, não fornecimento de documento para liquidação antecipada, insatisfação com a resposta, cancelamento de contrato a pedido do cliente não atendido e envio de cartões não solicitados.

Para melhorar o serviço prestado pelas instituições financeiras, o Banco Central está cobrando que os canais de atendimento sejam efetivos e amplamente divulgados. De acordo com o diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do BC, Isaac Sidney Ferreira, há também a necessidade premente de definição das alçadas internas para solução de conflitos. Ferreira afirma ainda que solicitará ideias que contribuam para reduzir os litígios judiciais, cada vez mais frequentes.

Satisfação
Na contramão de outras instituições, o serviço prestado pela Neoconsig na Central de Atendimento ao Servidor (CAS), que faz gestão do consignado para os 500 mil servidores, tem índice de satisfação de 97,67%. Nos últimos seis meses, foram registrados mais de 86 mil atendimentos a servidores públicos com diversas solicitações e dúvidas. A empresa atua nos estados do Maranhão, Goiás e Alagoas; e também atende as prefeituras de Goiânia, São Luís, Florianópolis e Ananindeua (PA). Nestes locais, os servidores públicos contam com um canal de atendimento exclusivo para assuntos de consignação.

“Ainda que não sejamos configurados como uma instituição financeira, seguimos normas do Banco Central para atender o servidor com os devidos padrões de qualidade, segurança e confiabilidade. Em uma instituição financeira, a central de atendimento atua como um parceiro absorvendo as demandas, uma vez que os clientes podem resolver seus assuntos diretamente com a empresa que faz a gestão da margem consignável no órgão. É essa mentalidade que nos permite alcançar bons resultados em parâmetros de qualidade”, explica o economista e diretor da Neoconsig Fernando Kasprik.

O diretor explica ainda que, além disso, os clientes da Neoconsig também contam com serviço exclusivo de atendimento para assuntos bancários, que por meio de suporte telefônico auxilia os bancos durante as operações de crédito consignado. “A tecnologia nos permite oferecer atendimento online, inclusive pelo celular, mas é preciso que o cliente verdadeiramente resolva suas demandas e tenha outros canais funcionando com efetividade, como nossas centrais de atendimento e totens de autoatendimento disponibilizados a cada público com os quais lidamos. Essa percepção de cordialidade, qualidade e eficiência é, sem dúvida, a solução para o desafio que ora se coloca diante do BC e dos bancos”, conclui Kasprik.
Website: http://www.neoconsig.com.br

Mais de 551 mil atendimentos ao cidadão foram realizados pelo Banco Central (BC) de 2015. Destes, 343 mil foram reclamações. Só no primeiro semestre de 2016 foram registradas quase 170 mil queixas, o que aponta para cenário semelhante ao do ano passado. Entre as principais críticas está a ausência do custo efetivo total da operação nos contratos de crédito consignado, problemas na portabilidade do consignado, não fornecimento de documento para liquidação antecipada, insatisfação com a resposta, cancelamento de contrato a pedido do cliente não atendido e envio de cartões não solicitados.

Para melhorar o serviço prestado pelas instituições financeiras, o Banco Central está cobrando que os canais de atendimento sejam efetivos e amplamente divulgados. De acordo com o diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do BC, Isaac Sidney Ferreira, há também a necessidade premente de definição das alçadas internas para solução de conflitos. Ferreira afirma ainda que solicitará ideias que contribuam para reduzir os litígios judiciais, cada vez mais frequentes.

Satisfação
Na contramão de outras instituições, o serviço prestado pela Neoconsig na Central de Atendimento ao Servidor (CAS), que faz gestão do consignado para os 500 mil servidores, tem índice de satisfação de 97,67%. Nos últimos seis meses, foram registrados mais de 86 mil atendimentos a servidores públicos com diversas solicitações e dúvidas. A empresa atua nos estados do Maranhão, Goiás e Alagoas; e também atende as prefeituras de Goiânia, São Luís, Florianópolis e Ananindeua (PA). Nestes locais, os servidores públicos contam com um canal de atendimento exclusivo para assuntos de consignação.

“Ainda que não sejamos configurados como uma instituição financeira, seguimos normas do Banco Central para atender o servidor com os devidos padrões de qualidade, segurança e confiabilidade. Em uma instituição financeira, a central de atendimento atua como um parceiro absorvendo as demandas, uma vez que os clientes podem resolver seus assuntos diretamente com a empresa que faz a gestão da margem consignável no órgão. É essa mentalidade que nos permite alcançar bons resultados em parâmetros de qualidade”, explica o economista e diretor da Neoconsig Fernando Kasprik.

O diretor explica ainda que, além disso, os clientes da Neoconsig também contam com serviço exclusivo de atendimento para assuntos bancários, que por meio de suporte telefônico auxilia os bancos durante as operações de crédito consignado. “A tecnologia nos permite oferecer atendimento online, inclusive pelo celular, mas é preciso que o cliente verdadeiramente resolva suas demandas e tenha outros canais funcionando com efetividade, como nossas centrais de atendimento e totens de autoatendimento disponibilizados a cada público com os quais lidamos. Essa percepção de cordialidade, qualidade e eficiência é, sem dúvida, a solução para o desafio que ora se coloca diante do BC e dos bancos”, conclui Kasprik.
Website: http://www.neoconsig.com.br

Adicionar novo vídeo

Mais de 551 mil atendimentos ao cidadão foram realizados pelo Banco Central (BC) de 2015. Destes, 343 mil foram reclamações. Só no primeiro semestre de 2016 foram registradas quase 170 mil queixas, o que aponta para cenário semelhante ao do ano passado. Entre as principais críticas está a ausência do custo efetivo total da operação nos contratos de crédito consignado, problemas na portabilidade do consignado, não fornecimento de documento para liquidação antecipada, insatisfação com a resposta, cancelamento de contrato a pedido do cliente não atendido e envio de cartões não solicitados.

Veja também
  • query_builder

Para melhorar o serviço prestado pelas instituições financeiras, o Banco Central está cobrando que os canais de atendimento sejam efetivos e amplamente divulgados. De acordo com o diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do BC, Isaac Sidney Ferreira, há também a necessidade premente de definição das alçadas internas para solução de conflitos. Ferreira afirma ainda que solicitará ideias que contribuam para reduzir os litígios judiciais, cada vez mais frequentes.


Satisfação
Na contramão de outras instituições, o serviço prestado pela Neoconsig na Central de Atendimento ao Servidor (CAS), que faz gestão do consignado para os 500 mil servidores, tem índice de satisfação de 97,67%. Nos últimos seis meses, foram registrados mais de 86 mil atendimentos a servidores públicos com diversas solicitações e dúvidas. A empresa atua nos estados do Maranhão, Goiás e Alagoas; e também atende as prefeituras de Goiânia, São Luís, Florianópolis e Ananindeua (PA). Nestes locais, os servidores públicos contam com um canal de atendimento exclusivo para assuntos de consignação.

“Ainda que não sejamos configurados como uma instituição financeira, seguimos normas do Banco Central para atender o servidor com os devidos padrões de qualidade, segurança e confiabilidade. Em uma instituição financeira, a central de atendimento atua como um parceiro absorvendo as demandas, uma vez que os clientes podem resolver seus assuntos diretamente com a empresa que faz a gestão da margem consignável no órgão. É essa mentalidade que nos permite alcançar bons resultados em parâmetros de qualidade”, explica o economista e diretor da Neoconsig Fernando Kasprik.

O diretor explica ainda que, além disso, os clientes da Neoconsig também contam com serviço exclusivo de atendimento para assuntos bancários, que por meio de suporte telefônico auxilia os bancos durante as operações de crédito consignado. “A tecnologia nos permite oferecer atendimento online, inclusive pelo celular, mas é preciso que o cliente verdadeiramente resolva suas demandas e tenha outros canais funcionando com efetividade, como nossas centrais de atendimento e totens de autoatendimento disponibilizados a cada público com os quais lidamos. Essa percepção de cordialidade, qualidade e eficiência é, sem dúvida, a solução para o desafio que ora se coloca diante do BC e dos bancos”, conclui Kasprik.
Website: http://www.neoconsig.com.br

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s