Alimentos e passagens aéreas aliviam inflação em setembro

Três das oito classes de despesa desaceleraram na passagem do mês, mas o destaque ficou com o grupo Alimentação (0,19% para 0,01%)

Rio de Janeiro – Os preços dos alimentos desaceleraram no varejo em setembro, o que contribuiu para a alta de 0,23% no Índice de Preços ao Consumidor (IPC) na segunda prévia deste mês do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M).

No mês passado, o avanço havia sido de 0,27%. A queda nas passagens aéreas e a trégua nas tarifas de energia também influenciaram o resultado, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Ao todo, três das oito classes de despesa desaceleraram na passagem do mês, mas o destaque ficou com o grupo Alimentação (0,19% para 0,01%).

O item hortaliças e legumes ficou 9,26% mais barato na leitura divulgada hoje, após recuo de 5,65% no mês passado. Segundo a FGV, caíram os preços de tomate (-15,52%), cebola (-13,36%) e batata-inglesa (9,19%), entre outros alimentos.

Também perderam força os grupos Educação, Leitura e Recreação (0,43% para -0,09%) e Habitação (0,47% para 0,39%). As maiores contribuições para estes movimentos partiram dos itens passagem aérea (6,36% para -4,22%) e tarifa de eletricidade residencial (1,10% para 0,16%), respectivamente.

No sentido contrário, aceleraram os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (0,46% para 0,61%), Transportes (0,16% para 0,27%), Vestuário (-0,27% para 0,06%), Despesas Diversas (0,01% para 0,21%) e Comunicação (0,12% para 0,31%).

Nestas classes de despesa, vale mencionar os itens artigos de higiene e cuidado pessoal (0,60% para 0,89%), serviço de reparo em automóvel (0,26% para 1,30%), roupas (-0,30% para 0,11%), alimentos para animais domésticos (-1,06% para 1,30%) e mensalidade para TV por assinatura (0,98% para 1,79%), respectivamente.

Construção

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) avançou 0,11% na segunda prévia de setembro, após aumento de 0,87% no mês passado.

O alívio veio principalmente do custo de mão de obra (1,40% para 0,00%), mas o índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços também influenciou, devido à desaceleração de 0,27% em agosto para 0,24% neste mês.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s