Sudeste requer R$ 63 bilhões em transporte até 2020, diz CNI

Para estudo, deveriam ser executadas com urgência 86 obras englobando rodovias, ferrovias, portos, estações de transbordo e dutos para transporte de minérios

O escoamento da produção agrícola, industrial e de minérios na região Sudeste do país exigirá investimentos públicos ou privado no valor de R$ 63,2 bilhões em melhorias de vias de transporte rodoviário, ferroviário e hidroviário até 2020, informa estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O estudo, denominado Projeto Sudeste Competitivo, foi elaborado em parceria com as federações industriais de São Paulo, Espírito Santos, Minas Geriais e Rio de Janeiro.

O estudo sugere que deveriam ser executadas com urgência 86 obras englobando rodovias, ferrovias, portos, estações de transbordo e dutos para transporte de minérios.

O estudo indica que os projetos propiciarão economia anual de R$ 8,9 bilhões, depois de implantados. Das 86 obras apontadas como emergenciais, apenas 16 estão em andamento. As outras estão em projeto ou em análise do poder público.

O estudo identifica oito rotas prioritárias. O documento cita, entre essas rotas, a a BR-116  – que liga a Região Sul ao Nordeste. A BR-116 opera com o dobro de capacidade em múltiplos trechos da rodovia.

O documento informa que outra rota prioritária – a BR-262 – no trecho entre Bela Vista  (MG) e Belo Horizonte, recebe 32% mais carga do que prevê sua capacidade. 

“Projetos de infraestrutura têm longo tempo de maturação. É preciso planejamento e governança para dotar nossa malha de transportes de condições condizente com o tamanho da economia brasileira”, disse, por meio de nota, Olavo Machado, presidente do Conselho de Infraestrutura da CNI.

De acordo com a CNI, o setor produtivo do país gasta R$ 108,4 bilhões, anualmente, com custos de transporte – incluindo fretes, pedágios, custos de transbordo, terminais, tarifas portuárias  – o que corresponde a 4,5% do Produto Interno Bruto (soma das riquezas geradas) da região.

Conforme o documento, se não forem realizados os investimentos previstos, os custos logísticos podem subir para R$ 162,8 bilhões, em 2020.

Ao defender a realização de investimentos em transportes, a CNI considera que os projetos significarão impactos positivos na redução de custos de transportes de mercadorias na Região Sudeste, que constitui mais da metade do PIB brasileiro.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s