Contas públicas foram destruídas para reeleição, diz Delfim

Ex-ministro disse que ficou espantado com declaração de Dilma e citou Nietzsche: “as piores mentiras são as que contamos para nós mesmos”

São Paulo – O ex-ministro Delfim Netto se disse “espantado” com as declarações da presidente Dilma Rousseff ontem de que demorou para reconhecer a crise.

“Até 2013 você não tinha grandes problemas, mesmo nas contas, mas 2014 foi uma coisa deliberada – destruímos as finanças para obter a reeleição”, disse na manhã desta quarta-feira em São Paulo.

Era uma referência às declarações, feitas recentemente pela presidente para três jornais, de que demorou para perceber a gravidade da crise e que poderia ter feito uma inflexão antes.

“Ontem ela me lembrou o velho Nietzsche: as piores mentiras são as que contamos para nós mesmos. E somos vítimas disso”, disse Delfim.

A declaração do ex-ministro da Fazenda entre 1967 e 1973 foi feita durante o seminário “Repensando o Desenvolvimento Produtivo no Brasil”, na escola de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV) em São Paulo.

Também estavam presentes o Luis Carlos Bresser Pereira, ministro dos governos Sarney e FHC, e Roberto Mangabeira Unger, atual ministro de Assuntos Estratégicos.

Em sua apresentação, Mangabeira disse que o ajuste fiscal não era uma forma de conquistar confiança financeira e sim de depender menos dela.

Delfim também disse que “não se pode queixar da Dilma, uma pessoa inteligente” e que “a primeira função de um governo é continuar governo para poder corrigir os erros que cometeu ou fazer novos erros”.

Ele também colocou o problema fiscal em perspectiva histórica: teria começado com o golpe da maioridade em 1840 e a promessa, já na época, de controlar despesas – descumprida por todos os governos desde então, sem excessão.

Apesar disso, Delfim não se mostrou pessimista sobre a trajetória brasileira:

“Com todos os seus problemas e depois de passar por 20 ou 30 crises como a atual, o Brasil chegou a 2015 como 7ª economia do mundo. O resultado final não é tão ruim quanto parece”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s