Descobertas de petróleo têm menor nível desde 1952

Descobertas de petróleo atingiram o menor patamar em seis décadas porque as empresas exploradoras reduziram bilhões de dólares em investimentos

As descobertas de petróleo atingiram o menor patamar em seis décadas porque as empresas exploradoras reduziram bilhões de dólares em investimentos para sobreviver à maior crise do mercado em uma geração.

Cerca de 12,1 bilhões de barris em reservas de petróleo foram descobertos em 2015, marcando um quinto ano consecutivo de declínio e o menor volume desde 1952, disse a Rystad Energy, consultoria do setor com sede em Oslo, em nota enviada por e-mail.

A exploração normalmente é a primeira vítima do colapso do preço do petróleo bruto.

Empresas como a BP e a Royal Dutch Shell reduziram seus orçamentos e equipes para focarem na manutenção dos campos existentes e dos pagamentos de dividendos aos acionistas. A ausência de novas descobertas poderia afetar a oferta a longo prazo, porque são necessários cinco a 10 anos para levar as novas descobertas à fase de produção, dependendo da localização, dos preços e da demanda.

“A curto prazo, não há escassez de petróleo”, escreveu Martijn Rats, analista do Morgan Stanley em Londres, em um relatório, em 20 de maio, que estimou o gasto com exploração em cerca de US$ 95 bilhões no ano passado, 45 por cento menos que em 2013. “Qualquer impacto dos recentes resultados ruins de exploração terá que se concretizar a longo prazo”.

O ritmo das descobertas de petróleo provavelmente continuará inalterado até 2018, disse a Rystad Energy.

Demanda reduzida

Contudo, as metas climáticas globais provavelmente limitarão o consumo de petróleo, o que significa que os recursos existentes poderiam ser suficientes para atender à demanda nas próximas duas décadas, segundo o Morgan Stanley. Citando o melhor cenário da Agência Internacional de Energia, o banco disse que a diferença entre a demanda e a oferta continuaria “pequena” e que “mais exploração será necessária, mas a um nível apenas modesto”.

Apenas se tudo continuar como estava em 2015 “se formará um déficit significativo entre demanda e produção dos recursos conhecidos”, disse a agência.

O preço do petróleo Brent, referência internacional, está em menos da metade do patamar de dois anos atrás. As empresas de exploração mantêm o foco na contenção de despesas e na extração de recursos dos ativos descobertos anteriormente, para os quais os riscos são mais baixos, e o ciclo de tempo do projeto, reduzido, disse Leta Smith, diretora da IHS Energy, em um relatório, nesta segunda-feira.

“O piso é completamente divergente para a exploração convencional e os resultados anunciam um déficit de oferta no futuro que será difícil superar”, disse Leta. “No ambiente atual de corte de custos, a perspectiva para os volumes de descoberta de 2016 provavelmente também não vai melhorar”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s