Desemprego no Brasil interrompe 4 altas e permanece em 11,2%

A deterioração do mercado de trabalho fica clara na comparação com o mesmo trimestre de 2015, quando o desemprego havia sido de 8,1%

Rrio de Janeiro/ São Paulo – A taxa de desemprego do Brasil interrompeu série de quatro altas seguidas e permaneceu em 11,2% no trimestre encerrado em maio, mas ainda mostrando forte deterioração do mercado de trabalho e da renda em meio ao cenário de recessão e inflação elevada.

Com isso, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua mostrou que a taxa de desemprego permaneceu na máxima da série histórica iniciada em 2012, informou nesta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A deterioração do mercado de trabalho fica clara na comparação com o mesmo trimestre de 2015, quando o desemprego havia sido de 8,1%.

“Houve perdas significativas no mercado de trabalho principalmente em relação ao trimestre encerrado em maio do ano passado. O mercado mostra perdas que estão ligadas ao ambiente econômico”, destacou o coordenador da pesquisa no IBGE, Cimar Azeredo.

O resultado do trimestre até maio foi melhor do que a expectativa em pesquisa da Reuters de que a taxa subisse a 11,4% na mediana das projeções.

A Pnad Contínua mostrou que o total de desempregados no período chegou a 11,44 milhões, recorde da série e alta de 40,3% sobre um ano antes, ou 3,284 milhões de pessoas a mais em busca de um emprego. Nos três meses até abril, eram 11,411 milhões de desempregados.

A população ocupada teve queda de 1,4% na comparação com o mesmo período de 2015, o que significa 1,255 milhão de pessoas a menos em relação ao ano passado.

Sobre o rendimento médio da população ocupada, a Pnad Contínua mostrou que no trimestre até maio houve queda de 2,7% sobre o mesmo período de 2015, para 1.982 reais.

Dados do Ministério do Trabalho já haviam mostrado a fragilidade do mercado de trabalho no Brasil em maio, ao apontar que nos cinco primeiros meses do ano foram registradas 448.101 demissões líquidas, recorde histórico para a série iniciada em 2002, após o fechamento de 72.615 vagas formais de trabalho somente no mês passado. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s