Espanha não tomou medidas efetivas para reduzir déficit

O objetivo em 2015 era de 4,2%, mas se desviou para 5,1% - se for levada em conta a ajuda financeira aos bancos

Bruxelas – A Comissão Europeia (CE) opinou nesta quinta-feira que a Espanha “não tomou medidas efetivas” para reduzir seu déficit, abrindo assim caminho para uma possível multa.

Os comissários da CE adotaram esta decisão sobre a situação orçamentária da Espanha por procedimento escrito, segundo disseram à Agência Efe fontes europeias, que agregaram que a decisão sobre Portugal é idêntica.

A Espanha tinha que deixar em 2016 o déficit abaixo de 3% do PIB.

O objetivo em 2015 era de 4,2%, mas se desviou para 5,1% – se for levada em conta a ajuda financeira aos bancos -, com o que a Espanha se afastou definitivamente de poder deixar o déficit em 2,8% em 2016.

Portugal tinha que fazê-lo em 2015, mas fechou o ano com 4,4% do PIB, incluindo o impacto fiscal pelo resgate do Banif.

O vice-presidente da CE para o Euro e o Diálogo Social, Valdis Dombrovskis, e o comissário europeu de Assuntos Econômicos e Financeiros, Pierre Moscovici, apresentarão a decisão formalmente em entrevista coletiva em Bruxelas, disse o porta-voz comunitário Margaritis Schinas.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s