Finlândia: o “homem doente” (mas rico) da Europa

Anos de recessão, população envelhecida, o declínio da Nokia e a perda da nota de crédito: a admirada Finlândia vive uma tempestade perfeita

São Paulo – Em meados do século XIX, a expressão “homem doente da Europa” foi usada para se referir ao Império Otomano – e pegou.

Desde então, praticamente todo país europeu já recebeu o rótulo por algum motivo – inclusive economias hoje fortes, como o Reino Unido (nos anos 70) e a Alemanha (nos anos 90).

Hoje, o doente da Europa é a Finlândia, como admitiu seu próprio ministro das Finanças, Alexander Stubb, em setembro do ano passado.

O país teve três anos seguidos de recessão e só voltou a crescer em 2015, mas pouco (0,7%), e o PIB continua 5% menor do que antes da crise.

A porcentagem da dívida em relação ao PIB quase dobrou desde a recessão e o país perdeu nos últimos meses a cobiçada nota triplo A de risco de crédito pela Fitch e pela Moody’s.

Houve uma tempestade perfeita de condições adversas. Uma delas é a decadência da Nokia, sua empresa-modelo, que respondeu por um quarto do crescimento do PIB entre 1997 e 2007. 

Demissões em massa de finlandeses foram anunciadas no mês passado tanto no que restou da Nokia quanto na Microsoft, que comprou seu negócio de smartphones.

Presa ao euro, a Finlândia não pode contar com o enfraquecimento da sua moeda para impulsionar a competitividade das exportações (mesmo problema da Grécia).

“A Finlândia está diante de anos de estagnação econômica, e será uma das economias da zona do euro com pior performance em termos de crescimento. Reformas estruturais sendo implementadas pelo governo serão insuficientes para compensar o declínio da indústrias chave, uma base exportadora não competitiva e rigidez no mercado de trabalho”, diz um relatório recente da BMI Research, empresa do grupo Fitch.

O país passou recentemente um pacote negociado com sindicatos (mas mal recebido pelos eleitores) de congelamento de salários, maiores porcentagens de contribuições sociais e alta nas horas trabalhadas.

Agora, vai ter que lidar com a surpresa da saída do Reino Unido da União Europeia, que balançou os mercados e colocou em questão a estabilidade do bloco.

Segundo o Danske Bank, pode ser o que faltava para Finlândia recair em uma recessão.

O país compartilha com outros europeus um problema estrutural de envelhecimento rápido. Em outras palavras: há cada vez menos pessoas em idade de trabalhar para bancar o custo de saúde e aposentadorias do número crescente de idosos.

Uma soluçao possível seria dar as boas vindas para mais imigrantes, mas isso esbarra na rejeição dos finlandeses e na plataforma de um dos partidos populistas de direita dentro da coalização governamental.

Uma boa notícia é que a Finlândia investe bastante em pesquisa e desenvolvimento (3,3% do PIB, contra 2% na média da União Europeia) e na infraestrutura do futuro que favorece negócios de ponta.

Combinado com uma das forças de trabalho mais qualificadas do mundo, isso pode significar inovação, aumento da produtividade e algum crescimento futuro.

De qualquer forma, ninguém espera que a Finlândia empobreça significativamente. O desemprego deve ser um pouco mais alto, a renda um pouco mais baixa e os serviços públicos um pouco piores – mas o país continuará sendo um dos mais prósperos e estáveis do mundo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s