Maria Silvia questionou autonomia ao ser chamada para BNDES

Maria Silvia acrescentou ainda que quando foi convidada, a sua única pergunta foi se teria autonomia para trabalhar

Rio – A presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Silvia Bastos Marques, anunciou nesta quarta-feira, 1, a nova diretoria do banco, composta por oito membros, entre funcionários de carreira do banco e executivos do setor privado.

Segundo ela, a ideia é que essa equipe tenha pessoas com múltiplos talentos. Maria Silvia acrescentou ainda que quando foi convidada, a sua única pergunta foi se teria autonomia para trabalhar.

“Vamos trabalhar os assuntos do banco de forma integrada. Todos os escolhidos têm capacidade executiva, capacidade técnica aliada com a de execução. O País tem pressa”, afirmou em coletiva de imprensa após cerimônia de posse do cargo.

Os atuais superintendentes Ricardo Ramos e Claudia Prates assumirão diretorias no banco. Solange Paiva será chefe de gabinete da presidência do banco.

Vinícius Carrasco, professor da PUC-Rio, vai chefiar a área de planejamento, enquanto Marilene Ramos conduzirá a área de infraestrutura.

Claudio Coutinho e Eliane Lustosa também compõem a nova diretoria. Ricardo Baldin ficará com uma diretoria nova, de controladoria e gestão de riscos.

Já a área de concessões não terá diretor por enquanto. “Estamos definindo qual será o perfil de atuação”, afirmou. Por enquanto, ela coordenará diretamente a área.

A nova diretoria ocupará uma sala comum, no 20º andar do prédio sede do banco, no centro do Rio.

Nova fase

O ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, afirmou nesta quarta-feira, 1, que o BNDES será entregue a Maria Silvia em “boa ordem”, mas precisa iniciar “nova fase”. A infraestrutura deve ser um foco de atuação neste período.

“Infraestrutura é deficiência e também oportunidade de expansão do crescimento, assim como o comércio exterior”, disse Oliveira durante cerimônia de transmissão de cargo na sede do banco de fomento, no Rio. Na recente reforma ministerial, o BNDES passou a ser subordinado ao Ministério do Planejamento.

O ministro interino disse também que é preciso elevar a eficiência operacional do BNDES, com redução do tempo de análise dos empréstimos e aprimoramento dos instrumentos de transparência do banco.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s