Número de empregados na construção cai ao nível de 2010,

Em 12 meses, o número de demitidos em todo país na construção foi de 514,570 mil trabalhadores, uma queda de 14,84% nos empregos

São Paulo – O número de trabalhadores formais no setor brasileiro de construção civil retornou em novembro a patamar semelhante ao observado em agosto de 2010, de acordo com pesquisa do SindusCon-SP em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), com base em informações do Ministério do Trabalho e do Emprego.

Ao fim do mês, o saldo total de empregados na área estava em 2,953 milhões.

O emprego na construção brasileira registrou queda de 0,79% em novembro, na comparação com outubro, desconsiderando fatores sazonais. Nessa conta, foram perdidas 23,224 mil vagas.

Considerando a sazonalidade, o indicador de emprego no país caiu 2,03% na base mensal, com perda de 61,321 mil vagas de trabalho.

Em 12 meses, o número de demitidos em todo país na construção foi de 514,570 mil trabalhadores, uma queda de 14,84% nos empregos. No acumulado do ano até novembro, a baixa foi de 10,90%, com perda de 385,741 mil vagas, frente igual período do ano passado.

Para o vice-presidente de economia do SindusCon-SP, Eduardo Zaidan, a forte queda no nível de emprego da construção em novembro reflete tanto a persistência da retração dos investimentos como o fenômeno sazonal de mais demissões que contratações, que acontece nos dois últimos meses de cada ano, quando o ritmo das obras diminui.

“Sem novos projetos para execução imediata e desprovidas de um horizonte para a retomada da confiança, as empresas da construção continuaram demitindo”, comentou.

A preparação de terreno teve a maior retração, com queda de 3,63%, em comparação com outubro, seguido de infraestrutura, com baixa de 3,01%, e pelo segmento imobiliário, que caiu 2,04%.

Já em 12 meses, a área imobiliária foi a mais afetada, com retração de 18,12%, enquanto infraestrutura perdeu 16,86% e preparação de terrenos, -16,03%.

No acumulado do ano, contra o mesmo período do ano anterior, o segmento de infraestrutura apresentou a maior queda (-14,46%), seguido pelo segmento imobiliário (-13,0%).

São Paulo

No Estado de São Paulo, o emprego caiu 1,62% em novembro em relação com outubro, considerando efeitos sazonais, com o corte de 12,808 mil vagas. Desconsiderando a sazonalidade, a queda no período foi de 0,71%, ou 5,594 mil vagas.

No acumulado ano, a redução do número de empregados no Estado foi de 7,77%, sendo que o segmento imobiliário respondeu pelo pior desempenho, com baixa de 10,07%.

Já na comparação de novembro com igual mês do ano passado, a baixa atingiu 10,50%. O estoque de trabalhadores caiu para 776,400 mil.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s