Energia cai 15% no Sudeste e Centro-Oeste e sobe 4% no Sul

No Nordeste e Norte, a queda no preço foi de 13%, sendo fixado em 212,39/MWh

São Paulo – A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) diminuiu o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) para o período entre 7 e 13 de novembro, de R$ 245,30/MWh para R$ 208,17/MWh no Sudeste/Centro-Oeste, redução de 15%.

Nos submercados Nordeste e Norte, a queda no preço foi de 13%, sendo fixado em 212,39/MWh. Já o PLD do Sul subiu 4% em relação ao valor da semana anterior, ficando em R$ 195,60/MWh. O PLD é o preço de referência de energia no mercado de curto prazo.

Segundo a CCEE, a diferença entre os preços do Sul e demais submercados ocorre pelo envio de energia da região para o Sudeste ter atingido o limite de intercâmbio, por conta das altas afluências registradas na região. O limite de intercâmbio também é a causa da diferença do PLD para as regiões Nordeste e Norte.

As afluências previstas para novembro mantêm-se em 98% da Média de Longo Termo (MLT), com destaque para a região Sudeste, onde a previsão passou de 92% para 96% da média histórica. A expectativa para o Norte também subiu (63% para 67%), enquanto as afluências esperadas para o Sul (168% para 159%) e Nordeste (29% para 25%) foram reduzidas.

Já os níveis de armazenamento nos reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN) subiram 2.000 MW médios acima da previsão, comportamento observado em todos os submercados, com exceção no Nordeste que sofreu redução de 100 MW médios. Os níveis elevaram-se em 1.800 MW médios no Sudeste, 200 MW médios no Sul e 30 MW médios no Norte.

A Câmara informa ainda que a previsão de carga para a próxima semana no SIN foi reduzida em 1.200 MW médios, como reflexo da presença de frentes frias durante novembro. No comparativo com a última revisão, apenas o submercado Nordeste não sofreu alterações. Nos demais, houve redução, sendo 700 MW médios no Sudeste, 450 MW médios no Sul e 80 MW médios no Norte.

O fator de ajuste do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) foi estimado em 89,5% para novembro, contra os 92,9% previstos anteriormente.

Segundo a CCEE, a nova estimativa leva em conta a expectativa de redução da carga e consequente redução da geração hidráulica. Os Encargos de Serviços do Sistema (ESS) são esperados em R$ 757 milhões, sendo R$ 688 milhões referentes à segurança energética.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s