Produção de açaí cai e a de erva-mate aumenta em 2014

Segundo a pesquisa, o Pará foi responsável por 54% da produção nacional de açaí obtido no extrativismo

A produção de açaí caiu 2%, em 2014, passando de 202,2 mil toneladas para 198,1 mil toneladas, mostra pesquisa divulgada hoje (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  

Segundo a pesquisa, denominada Produção da Extração Vegetal e Silvicultura (Pevs) 2014, o Pará foi responsável por 54% da produção nacional de açaí obtido no extrativismo.

Também destacaram-se Amazonas (33,6%), Maranhão (7%), Acre (2%), Amapá (1,1%), Rondônia e Roraima (0,9%). De acordo com o IBGE, os dados da pesquisa não incluem o açaí cultivado, e sim o produto proveniente do extrativismo.  

Houve mudança do principal município produtor de açaí: Limoeiro do Ajuru (PA) passou para a primeira colocação, substituindo Codajás (AM), que caiu para a segunda posição, seguido por Oeiras (PA).  

A produção da erva-mate apresentou, em 2014, pelo segundo ano consecutivo, o maior crescimento entre os produtos do extrativismo, em termos absolutos, mais 32,9 mil toneladas (11,0%), atingindo 333,0 mil toneladas.

A erva-mate nativa ocorre em apenas quatro unidades da federação, sendo o maior produtor o Paraná, responsável por 86,3% da produção nacional. Santa Catarina (7,6%) e Rio Grande do Sul (6,1%) completam a lista dos principais produtores.

Entre os 20 maiores municípios produtores, apenas dois são do Rio Grande do Sul: Fontoura Xavier e São José do Herval. Os demais são paranaenses, sendo São Mateus do Sul, Cruz Machado e Bituruna os principais produtores.  

A produção de castanha-do-pará, em 2014, atingiu 37,5 mil toneladas, representando um decréscimo de 2,1% em relação à obtida em 2013. O Acre (13,7 mil toneladas) foi o principal produtor, seguido por Amazonas (12,9 mil toneladas), Pará (6,9 mil toneladas), Rondônia (1,9 mil toneladas) e Mato Grosso (1,5 mil toneladas).

O maior produtor foi Brasileia, no Acre (3.492 toneladas). Dos 20 maiores municípios produtores, sete são do Acre; nove, do Amazonas; três, do Pará; e um, de Rondônia. Juntos, foram responsáveis por 67,1% da produção nacional.  

O principal produtor de pó de carnaúba foi o Piauí, responsável por 64,6% da produção nacional, totalizando 18,7 mil toneladas, um aumento de 2,5% em relação a 2013. Ceará (32%), Maranhão (2,8%) e Rio Grande do Norte (0,6%) também contribuíram para esta produção.

O maior produtor foi Granja, no Ceará (1.150 toneladas). No ranking dos 20 maiores municípios produtores, 15 são do Piauí; quatro, do Ceará; e um, do Maranhão. Juntos, foram responsáveis por 52,3 % da produção nacional em 2014.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s