Produção industrial registra nova queda em setembro, diz CNI

No mês passado, o índice de evolução dos estoques ficou em 49,7 pontos, o que indica estabilidade

Brasília – A indústria brasileira teve em setembro mais um mês de recuo nas atividades. A pesquisa Sondagem Industrial, divulgada nesta quarta-feira, 21, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que o índice de evolução da produção ficou em 42,0 pontos no mês passado ante 42,7 pontos registrados em agosto.

Os indicadores da pesquisa variam no intervalo de zero a 100, com valores abaixo de 50 indicando evolução negativa.

De acordo com o levantamento, a utilização da capacidade instalada ficou estável em 66% pelo terceiro mês consecutivo.

A Confederação ressalta que a estabilidade na passagem de agosto para setembro já era observada em outros anos, mas em 2015 o quadro se dá em nível mais reduzido, seis pontos porcentuais abaixo do registrado em 2014.

A CNI destaca, entretanto, que a indústria conseguiu ajustar parcialmente o excesso de estoques. No mês passado, o índice de evolução dos estoques ficou em 49,7 pontos, o que indica estabilidade.

Já o índice de estoque efetivo em relação ao planejado recuou de 53 para 51,6 pontos. “Isso indica que há progresso no processo de ajuste nos estoques nas empresas”, diz o documento.

Com relação ao emprego, ficou mantida a queda, ainda que em ritmo menos intenso. O índice que trata do número de empregados ficou em 41,4 pontos em setembro, contra 41,2 no mês anterior.

Expectativas

O pessimismo predominou no levantamento das expectativas da indústria para os próximos seis meses.

A previsão dos empresários ficou negativa com relação à demanda, ao número de empregados, à intenção de investimento e às compras de matérias-primas.

A exceção ficou com a quantidade exportada, que apresentou evolução de 50,2 pontos no levantamento do mês passado para 52,5 pontos neste mês.

De acordo com a CNI, as empresas exibiram otimismo com relação às vendas externas. Além disso, a intenção de investimento, apesar de indicar retração, voltou a aumentar, indo de 39,2 pontos em setembro para 40,7 pontos em outubro.

O dado rompe uma sequência de quedas no índice que foram registradas nos últimos nove meses.

A expectativa da demanda da indústria caiu de 45,8 para 44,2 pontos. “O índice revela grande preocupação com a demanda interna”, avalia.

Para as compras de matérias-primas, as perspectivas ficaram estáveis em 42,8. Com relação ao número de empregados, o índice recuou de 41,8 para 40,5.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s