Barça aceita pagar multa por fraude na contratação de Neymar

O Barcelona concordou em pagar uma multa de 5,5 milhões de euros por fraude fiscal na transferência de Neymar

O Barcelona concordou nesta segunda-feira em pagar uma multa de 5,5 milhões de euros por fraude fiscal na transferência de Neymar, informou o presidente do clube.

“É melhor aceitar esse pacto (com a promotoria) do que continuar com a incerteza que arrastamos há muito tempo com o caso Neymar”, justificou o presidente Josep Maria Bartomeu em entrevista coletiva depois de uma reunião com a diretoria.

“Tivemos que aceitar pagar uma multa de 5,5 milhões de euros por conta de um erro de planejamento na contratação do jogador, nos anos fiscais de 2011 e 2013”, explicou o dirigente.

Com esse acordo, o clube será julgado como pessoa jurídica, sem a inclusão dos dirigentes no processo, o que livra tanto Bartomeu quanto seu predecessor, Sandro Rosell, de um processo judicial no qual corriam até risco de ser condenados a penas de prisão.

Contratado em 2013, Neymar, hoje com 24 anos, enfrentou uma série de problemas por conta de irregularidades na transferência do Santos ao futebol espanhol.

A diretoria do Barça avaliou o montante da transação em 57, 1 milhões de euros (40 para a família do brasileiro e 17,1 para o Santos), um valor considerado baixo pelo potencial do jovem craque.

A denúncia de um sócio do clube catalão levou a justiça espanhola a investigar o caso e avaliou que o valor real da transferência foi de 83,8 milhões de euros, incluindo vário contratos firmados paralelamente com o Santos.

A promotoria acusou o Barça de fraude fiscal, ao considerar que esse contratos paralelos serviram para sonegar impostos.

Também foi considerado que os 40 milhões de euros que a família de Neymar recebeu fazem parte do salário do jogador e deveriam ser tributados.

De acordo com Bartomeu, o Barcelona poderia ter sido condenado a pagar uma multa muito maior, de até 22 milhões de euros.

Neymar e sua família também estão investigados pela procuradoria por conta de uma denúncia do fundo de investimento DIS, que possuía 40% dos direitos esportivos quando ele jogava pelo Santos e se considera prejudicado pelo modo como ocorreu a transferência.

No dia 7 de junho, a Promotoria da Audiência Nacional em Madri, jurisdição responsável pelos grandes casos econômicos, concordou com o DIS e pediu o julgamento de Neymar e seu pai, Neymar da Silva Santos, acusados de “corrupção nos negócios”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s