Kendrick Lamar e Taylor Swift são os vencedores do Grammy

Taylor Swift levou três prêmios - entre eles o de melhor disco do ano com "1989"

Los Angeles – O rapper Kendrick Lamar, com cinco prêmios, e a cantora pop Taylor Swift, com três – entre eles o de melhor disco do ano com “1989” -, foram os principais destaques da 58ª edição do Grammy, a principal premiação da indústria musical, na noite de gala desta segunda-feira em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Após três horas e meia de cerimônia, Lamar ficou com os troféus de melhor disco de rap (“To Pimp Up a Butterfly”), melhor canção e apresentação de rap (“Alright”), melhor parceria de rap (“These Walls”) e melhor clipe de musica por “Bad Blood”, com Taylor Swift.

No entanto, o prêmio mais cotado, o de melhor álbum do ano, foi para a cantora pop, com “1989”, que também levou os troféus de melhor álbum vocal pop e o já citado clipe de “Bad Blood”.

Após a celebração de hoje, Taylor Swift já acumula dez prêmios da Academia da Gravação em sua carreira.

Em seu discurso, a cantora lembrou que é a primeira artista feminina que ganha duas vezes o Grammy de melhor álbum e aconselhou “as mulheres jovens” a estarem atentas às pessoas que tentem “atrapalhar” seu sucesso ou “tirar crédito” de suas “conquistas e fama”.

“Mas se vocês se concentrarem no trabalho e não ligarem para essas pessoas, um dia vocês chegarão aonde quiserem, olharão ao redor e saberão que foram vocês e aqueles que vocês amam que lhes colocaram lá. E essa será a melhor sensação do mundo”, acrescentou a artista.

Outro nome vencedor da noite foi o grupo de soul-rock Alabama Shakes, que levou os prêmios de melhor álbum de música alternativa com “Sound & Color”, melhor música de rock e melhor apresentação de rock (“Don’t Wanna Fight”).

O inglês Ed Sheeran venceu dois troféus e seu prêmio de maior destaque foi o de melhor música, com “Thinking Out Loud”. Mark Ronson e Bruno Mars também saíram com duas premiações, entre elas a de melhor gravação com o sucesso “Uptown Funk”.

Outros artistas que levaram dois trófeus para casa foram Little Big Town, The Weeknd, D’Angelo, Jason Isbell e Chris Stapleton. Já a melhor artista revelação foi Meghan Trainor.

O início da festa ficou a cargo de Taylor Swift, que foi a primeira a subir no palco montado no ginásio Staples Center, em Los Angeles, com uma potente interpretação de “Out Of The Woods”.

As homenagens a grandes nomes da música que se foram no último ano foram o ponto alto da noite nas apresentações no Staples Center. Stevie Wonder cantou “That’s The Way Of The World” em lembrança de Maurice White de Earth, Wind & Fire, enquanto Jackson Browne e The Eagles interpretaram a emocionante “Take It Easy” em memória de Glenn Frey.

Também houve espaço para homenagear um dos grandes nomes do heavy metal com o grupo Hollywood Vampires, que conta com o lendário Alice Cooper nos vocais e ator Johnny Depp na guitarra, tocando “Ace of Spades” para lembrar Lemmy, do Motörhead, que morreu em dezembro.

Mas quem realmente chamou a atenção foi Lady Gaga. Com um jogo de luzes que desenhava sobre seu rosto as mil e uma faces do camaleão David Bowie, a estrela do pop iniciou um espetáculo visual e colorido com homenagens ao falecido artista com “Space Oddity”, “Changes” e “Heroes”.

Outras apresentações esperadas foram as de Kendrick Lamar, com “The Blacker The Berry” e “Alright”, e Justin Bieber, que iniciou com “Love Yourself” e fechou com Jack Ü (“Where Are Ü Now”).

Na premiação por gêneros musicais, o Muse foi o ganhador do melhor disco de rock com “Drones”, enquanto The Weeknd levou o troféu de melhor álbum urbano com “Beauty Behind The Madness” e D’Angelo com o LP “Black Messiah” em R&B.

Skrillex & Diplo levaram o Grammy de melhor álbum de música eletrônica (“Skrillex & Diplo present Jack Ü”) e Chris Stapleton foi o vencedor de melhor disco de country (“Traveller”).

Nas categorias latinas, o porto-riquenho Ricky Martin saiu com o troféu de melhor disco de pop latino por “A quien quiera escuchar”, enquanto Pit Bull (“Dale”) e Natalia Lafourcade (“Hasta la raíz”) compartilharam o prêmio de melhor álbum latino de rock alternativo ou urbano.

Entre os nomes da música brasileira se destacou a pianista radicada nos EUA Eliane Elias, que venceu o prêmio de melhor disco de jazz latino.

Já Gilberto Gil, que possui três estatuetas e concorria nesta edição com o álbum “Gilbertos Samba Ao Vivo” na categoria world music, perdeu para Sings, da cantora Angélique Kidjo, do Benin.

Como curiosidades, o ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter recebeu o Grammy para melhor álbum falado por “A Full Life: Reflections at Ninety”, o lendário Tony Bennett obteve sua 18ª estatueta ao triunfar na categoria de melhor disco vocal pop tradicional e Rihanna cancelou de última hora sua apresentação por problemas com a voz.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s