Thiago Braz bate recorde olímpico com ouro no salto com vara

A última medalha do Brasil no atletismo havia sido o ouro de Maurren Maggi, no salto em distância nos Jogos de Pequim-2008.

Rio – O atletismo enfim voltou a conquistar uma medalha para o Brasil. E não foi qualquer medalha. Na noite desta segunda-feira, Thiago Braz surpreendeu os favoritos e conquistou o ouro na disputa do salto com vara, no Engenhão. O brasileiro saltou 6,03 metros e, além de obter a melhor marca de sua carreira, cravou o novo recorde olímpico, transformando o estádio no palco da primeira grande conquista do atletismo nos últimos oito anos.

A última medalha do Brasil no atletismo havia sido o ouro de Maurren Maggi, no salto em distância nos Jogos de Pequim-2008. “É campeão”, gritavam os torcedores no Engenhão. Emocionado, o brasileiro desfilou com a bandeira brasileira.

O brasileiro travou uma disputa eletrizante com o francês Renaud Lavillenie, campeão olímpico e recordista mundial. Em sua última tentativa, Braz superou a marca de 6,03m e deixou o rival pressionado. Sob forte pressão da torcida, o francês não conseguiu superar a marca do brasileiro. Pertencia a ele o recorde olímpico, de 5,97 metros, registrado em Londres, onde faturou o ouro há quatro anos.

Os torcedores novamente se comportaram como se estivessem diante de um jogo de futebol. O francês era o rival e, mesmo contrariando a ética desportiva, foi vaiado. Em sua última tentativa, o francês, pouco antes de saltar, fez o sinal de negativo, reprovando a atitude. “Vamos respeitar a concentração dos atletas independente de sua nacionalidade”, pediu o locutor.

No final da prova, a exemplo do brasileiro, o francês Lavillenie (5,95m) e o norte-americano Sam Kendriks (5,85m) também desfilaram com as bandeiras de seus países. Decepcionados, os franceses não acreditavam, pois esperavam o bicampeonato olímpico.

O brasileiro teve uma grande noite. No primeiro salto, ele conseguiu superar 5,65m com facilidade, logo na primeira tentativa. Nessa altura, muitos atletas já ficam pelo caminho. Caso do argentino German Chiaraviglio, do grego Konstadinos Filippidis e do checo Michal Balner, campeão mundial em 2015. No final, a vitória com a marca inédita de 6,03m sobre o campeão olímpico.

Até então, Braz tinha como melhor marca da vida o 5,92 metros, que era o recorde sul-americano, obtido no ano passado. Porém, também registrara 5,93m em competição indoor, neste ano.

A conquista do saltador marca a nona medalha do Brasil nos Jogos do Rio-2016, sem contar a do boxeador Robson Conceição, que já tem garantida a prata – pode conquistar o ouro nesta terça-feira. Também não leva em conta o pódio assegurado no vôlei de praia feminino, uma vez que as duas duplas estão na semifinal, o que garante ao menos o bronze.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s