Um UFC polêmico

Polêmicas marcaram quase todas as lutas do card principal do primeiro UFC sediado em Barueri, na Grande São Paulo, que aconteceu ontem à noite — aliás, primeiro UFC em terras brasileiras em que os brasileiros perderam o main e o co-main event (Demian Maia e Erick Silva, respectivamente). Vamos por ordem: Polêmica 1: Toquinho segurou […]

Polêmicas marcaram quase todas as lutas do card principal do primeiro UFC sediado em Barueri, na Grande São Paulo, que aconteceu ontem à noite — aliás, primeiro UFC em terras brasileiras em que os brasileiros perderam o main e o co-main event (Demian Maia e Erick Silva, respectivamente). Vamos por ordem:

Mike Pierce em desespero com o golpe que Toquinho não soltava

Mike Pierce em desespero com o golpe que Toquinho não soltava

Polêmica 1: Toquinho segurou demais uma chave de perna

Rousimar Toquinho Palhares fez a primeira luta do card principal contra o americano Mike Pierce. Toquinho, depois de duas derrotas no peso médio, saiu de sua antiga equipe, a Brazilian Top Team de Murilo Bustamante, e foi para a Team Nogueira. Também baixou de categoria. Com sofrimento: na pesagem, emocionou-se muito — e passou a última semana toda assim. Na luta, não precisou de muito tempo para encaixar uma chave de perna, especialidade da casa, em cima do americano. Mike Pierce, claro, bateu. Não três ou quatro, mas, pelo que consegui contar, doze vezes (inclusive no árbitro, que se jogou sobre eles para fazer Toquinho aliviar o golpe). Imediatamente a polêmica instalou-se: teria Toquinho, que já é reincidente nessa história de não aliviar um golpe, feito isso na maldade? O atleta levou muito a sério alguma orientação prévia para só soltar se tiver mesmo certeza de que a luta acabou com vitória sua? Dana White não perdoou: hoje, no fim do dia, anunciou que Toquinho foi banido para sempre do UFC por conduta antiesportiva.

Maldonado desfere um jab em Joey Beltran

Maldonado desfere um jab em Joey Beltran

Polêmica 2: Maldonado venceu mesmo?

O Caipira de Aço Fabio Maldonado foi o protagonista da segunda luta do card principal. Entrou no ginásio ao som de uma moda de viola e fez uma luta equilibrada com o americano Joey Beltran. Usou praticamente o boxe, esperando o adversário golpear para contra-atacá-lo, e venceu por decisão dividida dos juízes. Beltran não concordou com o resultado: disse que ganhou o primeiro e o terceiro rounds. A plateia parecia ter tido a mesma opinião. Depois do anúncio do fim da luta feito por Bruce Buffer, ouvi várias vaias vindas da arquibancada. Na coletiva de imprensa, Maldonado disse que lutou com uma lesão no ligamento do joelho. “Faz três semanas que não treino jiu-jítsu ou wrestling”, disse. “Sei que parece desculpa ‘Ah, o cara luta mais ou menos’ e tal, mas foi isso que aconteceu”, justificou.

Thiago Silva: dieta à base de milk shake?

Thiago Silva: dieta à base de milk shake?

Polêmica 3: A dieta de Thiago Silva

A terceira luta principal da noite levou o brasileiro Thiago Silva e o americano Matt Hamill para o octógono. Thiago não tinha batido o peso no dia anterior: estava 900 gramas acima do permitido em sua categoria, o meio-pesado (93 quilos). Como Hamill aceitou lutar com o oponente mesmo nessas condições, Thiago pode fazer o combate, mas perdeu 25% de sua bolsa e não teria direito a nenhum prêmio extra da noite (melhor luta, nocaute ou finalização). Matt Hamill quase não aguentava parar em pé no fim da luta e a vitória de Thiago foi clara, mas ele acabou sofrendo “bullying” do próprio patrão. “Thiago Silva está no programa de dieta e exercícios Dana White”, tuitou Dana, mostrando uma foto em que apareciam um sundae e um milk shake bem gordurentos.

Jake Shields chuta Demian Maia em um dos poucos momentos em que a luta esteve em pé (fotos: Inova//UFC)

Jake Shields chuta Demian Maia em um dos poucos momentos em que a luta esteve em pé (fotos: Inova//UFC)

Polêmica 4: Demian Maia reclama da arbitragem

O brasileiro prodígio do jiu-jítsu perdeu por decisão dividida dos jurados em uma luta superequilibrada. “Não dá para entender os juízes”, disse ele após o combate, na coletiva de imprensa. “A luta foi decidida no último round, e eu particularmente acho que venci o quinto round. Achei que ia ficar 3 a 2 para mim. Acho que falta clareza nas regras. Às vezes a gente não sabe o que vale mais: fazer defesa, ataque, ficar por cima, buscar uma posição. Numa decisão dessa, você muda a vida da pessoa, por isso acho que eles [os juízes] têm que aparecer, dar a cara para todo mundo ver. Quando você dá a cara, aumenta sua responsabilidade.” Demian contou que seus córneres disseram que ele estava vencendo, por isso a decisão de, no último round, apenas defender as quedas. Algo para ser pensado: será que vale a pena entrar em um round apenas para “segurar” uma suposta vitória? Deixar a luta na mãos dos jurados nunca foi um bom negócio.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s