Aplicativo de saúde promove engajamento e acesso à informação para pacientes com doença de pele

Target My Hives é o primeiro aplicativo voltado para o engajamento de pacientes com urticária crônica

Uma coceira incansável, que não passa nem na hora de dormir, lesões avermelhadas por todo corpo e inchaços repentinos¹. Essa é a cansativa rotina de um paciente com urticária crônica, doença que não só impacta diretamente as atividades do dia a dia, como causa desconforto e isolamento emocional.

Pensando nos 74 milhões de pacientes no mundo que sofrem com crises que podem se prolongar por anos², foi criado o Target My Hives, primeiro aplicativo voltado para o engajamento de pacientes com urticária crônica.
O objetivo é promover a troca entre eles, criando assim uma comunidade que incentive a interação e o aumento de consciência sobre a patologia, reduzindo principalmente a sensação de isolamento e incompreensão que esses pacientes sentem³. Além disso, o aplicativo terá uma funcionalidade que localiza especialistas da área e associações de pacientes.

Com um layout intuitivo e de fácil navegação, o aplicativo cria um perfil para o paciente, que inclui seu histórico de sintomas, fatores que desencadeiam a doença e tratamentos já utilizados, além de um teste de avaliação de controle da urticária. Por meio de um feed, semelhante ao de redes sociais, é possível que os pacientes tirar dúvidas e compartilhar dúvidas, sua rotina e desafios diários, promovendo a identificação e ajuda mútua entre aqueles que têm a doença.

Além disso, o aplicativo permite que o paciente encontre médicos especializados em sua região e mantenha um registro do dia a dia de altos e baixos de seus sintomas.

“Toda iniciativa que vise informar e empoderar o paciente é sempre válida, principalmente quando falamos em urticária, uma doença subestimada, em que há pouca informação disponível na internet. Essa troca é fundamental, porque permite criar uma rede de pacientes que compartilham muitas vezes as mesmas angústias e dificuldades, fazendo com que eles não se sintam isolados”, explica Dra. Patricia Karla de Souza, médica dermatologista e fundadora do GUIA-Grupo de Urticária-Informação e Apoio, primeira associação de pacientes no Brasil voltada para dar suporte sobre a urticária.

Uma pesquisa recente revelou que mais de um terço dos participantes com urticária crônica não estavam mais sob cuidados médicos, sendo que metade deles afirmou que isto foi consequência de sentirem que o profissional de saúde foi incapaz de ajudá-los ³,⁶.
O Target My Hives é mais uma ferramenta que pode auxiliar a acelerar o tempo que leva para obter apoio, conhecimento e acesso aos centros de urticária crônica especializados.

Para fazer o download do aplicativo, acesse:

IOS: https://itunes.apple.com/us/app/target-my-hives/id1062785158?ls=1&mt=8

Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.excointouch.mobilize.target

Sobre a Urticária Crônica
A urticária é desencadeada pela liberação da histamina, substância que age nos vasos sanguíneos e na pele, causando coceira, inchaço e vermelhidão, e em alguns casos sensação de queimação e dor. Além disso, cerca de metade dos casos de urticária são acompanhados de angioedema, inchaços maiores e mais profundos nos lábios, pálpebras, pés, mãos e genitais.¹-²,⁴

Existem diversos tipos de urticária. Na maior parte dos casos, as crises são agudas e desaparecem em no máximo 24 horas, sem deixar marcas ou cicatrizes.² No entanto, na urticária crônica, elas chegam a durar mais de seis semanas e podem prolongar-se por anos. Até 1% da população sofre com a doença em sua forma crônica. Outro agravante é que de 60-90% das urticárias crônicas surgem de forma espontânea, ou seja, acontecem sem que se encontre qualquer fator desencadeante, dificultando o diagnóstico e tratamento.³

Além do aspecto visual, a urticária crônica causa isolamento social, desconforto emocional e afeta realização de atividades do dia a dia. De acordo com estudo, 84% dos pacientes afirmaram já terem evitado sair para comer/beber devido à doença (atividades físicas, sair para comer/beber, cancelamento de convites) e 74% dos pacientes relatam que a doença compromete no desempenho do trabalho.⁵

Para mais informações sobre Urticária, tipos da doença, diagnóstico e tratamento, acesse: www.urticaria.novartis.com.br.

Referências

1. GUIA. Grupo de Urticária Informação e Apoio. Disponível em: http://www.urticaria.org.br/. Último acesso: 23/04/2014
2. Zuberbier T, et al. EAACI/GA(2)LEN/EDF/WAO guideline: definition, classification and diagnosis of urticaria. Allergy 2009;64:1417-26.
3. Maurer M, et al. Unmet clinical needs in chronic spontaneous urticaria. A GA²LEN task force report. Allergy 2011;66:317–30
4. Greaves MW, Sabroe RA. Allergy and the skin. I – Urticaria. BMJ. 1998;316:1147-50
5. O”Donnell BF et al. The impact of chronic urticaria on the quality of life. Br J Dermatol 1997;136:197–201.
6. ExcoIntouch. Disponível em: http://excointouch.com/resources/news/single/exco-intouch-announces-the-development-of-a-new-digital-health-network-for-everyone-impacted-by-chronic-urticaria-target-my-hives/. Último acesso em: 19/07/2016

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s