Estudo mundial mostra que dirigentes das empresas estão despreparados para a disrupção digital

Tecnologias NFV e SDN já mostraram seus benefícios, mas o déficit de competências ainda é um grande desafio

A Juniper Networks, líder da indústria em rede automatizadas, escaláveis e seguras, divulgou o resultado de uma pesquisa feita com 2,7 mil executivos e tomadores de decisões de negócios e de TI (ITDMs, Information Technology Decision Makers e BDMs, Business Decision Makers). O estudo revela que as empresas não estão preparadas para a disrupção digital.

O novo estudo mundial da Wakefield Research e da Juniper Networks destaca a falta de conexão entre as áreas de TI e os dirigentes empresariais. Também chama a atenção para a realidade de quanto as empresas estão preparadas – ou despreparadas – para a ruptura digital que já atingiu algumas indústrias. E, adicionalmente, reforça os benefícios de investimentos em automação para as empresas darem mais agilidade aos negócios e ficarem à frente da curva de disrupção.

Mais de metade dos consultados (55% dos ITDMs e 51% dos BDMs) acreditam que uma nova tecnologia, produto ou serviço disruptivo serão introduzidos em seu segmento nos próximos dois anos. Os departamentos de TI, no entanto, não se sentem preparados para as futuras mudanças. Quase metade (45%) dos ITDMs pesquisados acredita que um quarto ou mais da sua força de trabalho de TI não possui as competências necessárias para ser bem-sucedida daqui a cinco anos.

Pelo menos oito em cada 10 consultados (84% dos ITDMs e 84% dos BDMs) admitem que o desempenho de sua organização seria melhor se a diretoria atual tivesse mais conhecimento a respeito de tecnologia.

A falta de investimentos em TI cria barreiras à inovação, impedindo os negócios de manter o ritmo de mudanças e sua competitividade. Quase metade dos participantes da pesquisa (46% dos ITDMs e 50% dos BDMs) acredita que sua empresa levaria no mínimo um ano para desenvolver e dar suporte a um produto, caso tivesse que se defender da iniciativa de concorrentes. Mas esse tempo pode não existir, porque a velocidade da disrupção é muito alta.

Mais grave, o legado da infraestrutura tecnológica está desacelerando o crescimento das empresas. Mais da metade dos participantes da pesquisa disseram que a infraestrutura de TI de sua empresa pode, muito ou de alguma maneira, ser um obstáculo ao rápido desenvolvimento de novos produtos ou serviços.

Para se manterem relevantes, as empresas precisam repensar a maneira de lidar com a TI, investindo constantemente nas mais recentes inovações tecnológicas. Uma vantagem competitiva no mercado pode se manter por muito mais tempo quando uma empresa faz uso de tecnologias de vanguarda.

“Mesmo o acesso às melhores tecnologias não assegura sucesso digital no ambiente competitivo de hoje. Empresas precisam de uma combinação exata de talentos para liderar e executar com sucesso uma mudança tecnológica. E precisam assegurar, de forma contínua, que seus talentos estejam ‘digitalmente prontos’, recrutando e capacitando pessoas nas competências que vão ajudar as empresas a atender as demandas e crescer neste ambiente tecnológico ágil e em constante mudança”, afirma Fiona Vickers, Senior Client Partner e Managing Director, Digital na Korn Ferry, reconhecida consultoria global em recursos humanos e organização, que recentemente publicou um estudo chamado Líderes para uma Transformação Digital.

Para se manterem à frente na curva de disrupção digital, as organizações devem priorizar investimentos em automação de redes. O resultado do estudo mostra que tanto os ITDMs quanto os BDMs enxergam a automação de redes e de TI como fundamental para a competitividade de suas empresas no futuro.

Quase três em cada quatro participantes da pesquisa (70% dos ITDMs e 72% dos BDMs) afirmam que estão entusiasmados com as oportunidades que a automação de redes e de TI criam para suas empresas.

Entre os ITDMs que já usam redes definidas por software (software defined networks, SDN) ou virtualização de funções de rede (network functions virtualization, NFV), quase todos (93%) afirmam que isso lhes provê uma vantagem significativa em relação à concorrência.

ITDMs, em empresas que adotaram SDN, constataram que isso lhes deu mais benefícios e competências do que as que previam originalmente. Os pesquisados relataram que a interconexão em nuvem, a virtualização do data center e a automação da segurança foram os benefícios advindos da adoção de SDN. ITDMs em empresas que adotaram NFV também relataram maiores benefícios e habilidades do que esperavam. As vantagens mais citadas foram que a adoção de NFV possibilitou segurança e roteamento virtuais, além de otimização de redes de longa distância (WAN).

O estudo, contratado pela Juniper Networks, foi realizado pela Wakefield Research por meio de uma pesquisa online da qual participaram 2,704 executivos nos Estados Unidos, China, Austrália, Japão, Índia, Reino Unido, Alemanha e França.

Confira o estudo completo: http://www.juniper.net/us/en/dm/sdn-nfv-executive-report/

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s