General Cable divulga resultados do segundo trimestre de 2016

General Cable Corporation (NYSE: BGC) divulgou hoje os resultados do segundo trimestre finalizado em 1º de julho de 2016.

General Cable Corporation (NYSE: BGC) divulgou hoje os resultados
do segundo trimestre finalizado em 1º de julho de 2016. Para o
trimestre, os ganhos diluídos por ação de operações continuadas foram de
US$ 0,68 e lucro operacional de operações continuadas foi de US$ 58
milhões. A empresa gerou lucros ajustados por ação de operações
continuadas para o trimestre de US$ 0,30 e receita operacional ajustada
de operações continuadas de US$ 49 milhões. Consulte as páginas 3 e 4
deste comunicado de imprensa para a conciliação dos resultados ajustados
e divulgados e as publicações relacionadas.

Michael T. McDonnell, presidente e diretor executivo, disse: “Nosso
sólido desempenho financeiro neste trimestre, gerado, apesar de um
ambiente de demanda relativamente fraco e instável, reflete os
resultados de nossa execução focada e as melhorias operacionais
significativas que fizemos na empresa. A receita operacional ajustada
das operações continuadas ficou no topo da faixa de orientação,
excluindo-se o impacto desfavorável do preço do metal no trimestre em
relação aos pressupostos de orientação. Também continuamos a simplificar
e concentrar o nosso portfólio com a venda de três empresas e aplicamos
os recursos para reduzir nossos empréstimos pendentes”.

Resumo do segundo trimestre

  • O segundo trimestre registrou lucro operacional de operações
    continuadas de US$ 58 milhões, aumento de US$ 43 milhões em sequência
    e US$ 34 milhões anuais, principalmente devido ao ganho na venda do
    setor de cabos de ignição automotivos da América do Norte e economias
    de reestruturação da empresa.
  • O lucro operacional ajustado de operações continuadas do segundo
    trimestre foi de US$ 49 milhões, aumento de US$ 7 milhões
    sequencialmente e US$ 2 milhões acima do ponto médio de orientação,
    motivado, principalmente, pela melhoria do desempenho continuado e
    economias de reestruturação.
  • A receita operacional ajustada de operações continuadas foi de
    queda de US$ 6 milhões anuais, motivada pelo desempenho flexibilizado
    do setor de projetos submarinos em regime turnkey da empresa e pelo
    impacto da demanda mais fraca para cabos industriais e especializados
    (petróleo e gás).
  • Em comparação com a orientação, os preços dos metais representam
    um impacto negativo de aproximadamente US$ 4 milhões para o segundo
    trimestre de 2016. Os preços dos metais para o segundo trimestre de
    2016 foram neutros quando comparados ao primeiro trimestre de 2016 e
    segundo trimestre de 2015. O impacto do custo do metal é calculado
    como a diferença entre o preço pelo qual compramos os metais e o preço
    pelo qual vendemos os metais como um componente do custo do produto.
  • Concluída a venda do setor da América do Norte de cabos de
    ignição automotivos gerando recursos de US$ 71 milhões.
  • Concluída a venda de operações no Egito da empresa, trazendo
    recursos totais de caixa gerados a partir do programa de alienação de
    US$ 193 milhões, com mais ainda por vir.
  • Subsequente ao segundo trimestre, concluída a venda do setor da
    Venezuela da empresa gerando recursos de caixa de US$ 6 milhões.
  • A empresa continua no bom caminho para cumprir o objetivo de
    poupança de reestruturação de US$ 80 milhões a US$ 100 milhões;
    economia de reestruturação adicional gerada de US$ 9 milhões no
    segundo trimestre.

Demanda por segmento

América do Norte – excluindo-se as remessas
de produtos por via aérea, o volume unitário foi estável em relação ao
primeiro trimestre de 2016 e com aumento de 4% anuais. Para o segundo
trimestre, a demanda mais forte pela distribuição e construção de cabos
de distribuição de energia elétrica e construção foi parcialmente
compensada por uma demanda mais fraca de produtos industriais e
especializados, especialmente aqueles ligados às aplicações de petróleo
e gás.

Europa – o volume unitário foi de aumento
de 7% em relação ao primeiro trimestre de 2016, motivado pela demanda
por cabos de energia elétrica, incluindo projetos terrestres do tipo
turnkey e produtos de energia. Excluindo-se o impacto da atividade de
reestruturação, como a saída de certos mercados finais de baixo valor
agregado, o volume unitário anual foi estável.

América Latina – excluindo-se as remessas
de produtos por via aérea no Brasil, o volume unitário foi um aumento de
8% em relação ao primeiro trimestre de 2016, já que a demanda sazonal
melhorou em toda a região. O volume unitário, anual, excluindo-se as
remessas de produtos por via aérea foi de queda de 1%, já que a demanda
do mercado final permanece sob pressão por toda a região devido às
difíceis condições econômicas em vigor e aos gastos reduzidos do governo.

Outras receitas

Outras receitas de US$ 9 milhões para o segundo trimestre consistiram em
ganhos da marcação a mercado de US$ 4 milhões em instrumentos
derivativos contabilizados como hedges econômicos e ganhos de transações
em moeda estrangeira de US$ 5 milhões, dos quais US$ 3 milhões
referem-se a ganhos de transações em moeda estrangeira na África.

Dívida líquida

No final do segundo trimestre de 2016, primeiro trimestre de 2016 e
quarto trimestre de 2015, a dívida total era de US$ 1.024 milhões, US$
1.147 milhões e US$ 1.067 milhões, respectivamente, e o caixa era de US$
63 milhões, US$ 87 milhões e US$ 79 milhões, respectivamente. No final
do segundo trimestre 2016, a dívida líquida de US$ 961 milhões diminuiu
US$ 99 milhões no primeiro trimestre de 2016 e US$ 27 milhões em relação
ao final de 2015. A redução da dívida líquida é principalmente devido
aos recursos de caixa de alienações e à gestão eficiente do capital de
giro, incluindo os níveis de estoque e coletas dos projetos submarinos
do tipo turnkey.

Atualização sobre a transição do diretor
financeiro

O conselho de administração da empresa nomeou Chris Kreidler para servir
como diretor financeiro interino, efetivo em 12 de agosto de 2016.
Kreidler irá substituir Brian Robinson, que, como comunicado em março de
2016, está deixando a empresa em busca de outras oportunidades. A
procura da empresa, com o auxílio de Heidrick & Struggles, por um
diretor financeiro substituto permanente está avançando. Chris Kreidler
atuou mais recentemente como vice-presidente executivo e diretor
financeiro na Sysco Corporation e, durante sua carreira de 28 anos,
também ocupou vários cargos de liderança em na Yum! Brands e C&S
Wholesale Grocers. Kreidler obteve o grau de bacharel e MBA pela Rice
University. “Estamos muito satisfeitos de dar as boas-vindas a Chris na
General Cable como diretor financeiro interino”, continuou McDonnell.
“Chris traz décadas de experiência no apoio a empresas com operações
globais, assim como uma capacidade de liderança distinta para gerenciar
equipes e aplicar conhecimentos financeiros à gestão de empresas.
Estamos confiantes de que ele será um forte trunfo para a empresa,
enquanto concluímos nossa busca ativa por um direito financeiro
permanente.”

Outros assuntos

Estamos revendo, com a ajuda de consultores externos, o nosso uso e
pagamento de agentes em conexão com, e algumas outras transações
envolvendo, nossas operações em Angola, Tailândia, Índia, China e Egito
(os “países em questão”). A nossa análise incidiu sobre os pagamentos e
presentes realizados, oferecidos, contemplados ou prometidos por alguns
empregados em um ou mais dos países em questão, direta e indiretamente,
e por diversas vezes, a funcionários de empresas de serviços públicos
e/ou outros de entidades estatais, que levantam preocupações sob o FCPA
e, possivelmente, sob as leis de outras jurisdições. Durante 2015,
concluímos substancialmente a nossa revisão interna dos países em
questão e, com base em nossos resultados, aumentamos nossa provisão de
reserva excepcional relacionada ao FCPA para US$ 28 milhões em 31 de
dezembro de 2015. Neste momento, estamos nos estágios iniciais de
discussões com a SEC e DOJ (Departamento de Justiça) relacionadas aos
termos de uma resolução potencial das investigações em curso e, com base
nestas discussões, acreditamos que a quantidade total de restituição
provável dos lucros, incluindo os juros pré-julgamento, necessários para
a resolução das investigações, está na faixa de US$ 33 milhões a US$ 59
milhões. Consequentemente, aumentamos nossa restituição existente a
partir de 1o de julho de 2016 de US$ 5 milhões para US$ 33 milhões, o
que representa o segmento inferior do intervalo. O montante provisionado
apenas reflete os lucros e juros pré-julgamento, que pode ser restituída
e não inclui, e não somos capazes de estimar razoavelmente, a quantidade
de quaisquer multas possíveis, sanções civis ou penais ou outras
medidas, qualquer uma ou todas das quais poderiam ser substanciais. As
investigações da SEC e DOJ para estas questões continuam em vigor e
continuamos a cooperar com o Departamento de Justiça e a SEC com relação
a essas questões. Neste momento, não somos capazes de prever a natureza
de qualquer ação que possa ser tomada pelo DOJ ou SEC ou quaisquer
soluções que essas agências podem buscar como resultado de tais ações.

Perspectivas para o terceiro trimestre de 2016

“No terceiro trimestre, somos encorajados pelas tendências de demanda em
nossos mercados de distribuição de energia elétrica e construção não
residencial, que estão em torno de 5% anuais até agora este ano, mas
ainda esperamos certa demanda do mercado final seja desigual,
particularmente em nossos mercados industriais e especializados. Também
esperamos a desaceleração sazonal normal em nossas empresas europeias e
uma maior flexibilização do nosso setor de projetos submarinos do tipo
turnkey. Desenvolvemos o nosso mapa estratégico precisamente por este
ambiente de demanda fraca e desigual. Tenho o prazer de dizer que todas
as nossas principais iniciativas de roteiro na otimização do portfólio,
posição de liderança dos custos, crescimento orientado e cultura
altamente empenhada estão em andamento e no caminho certo para a criação
de valor substancial”, concluiu McDonnell.

Espera-se que as receitas do terceiro trimestre fiquem no intervalo de
US$ 900 milhões a US$ 950 milhões. Presume-se que o volume unitário seja
estável a em torno de 5% sequencialmente. Antecipa-se que o lucro
operacional divulgado das operações continuadas fique no intervalo de
US$ 32 milhões a US$ 47 milhões e o lucro operacional ajustado de
operações continuadas fique no intervalo de US$ 35 milhões a US$ 50
milhões para o terceiro trimestre. Presume-se que os ganhos diluídos por
ação fiquem no intervalo de US$ 0,06 a US$ 0,26 por ação e os ganhos
ajustados fiquem no intervalo de US$ 0,10 a US$ 0,30 por ação para o
terceiro trimestre. Não se prevê que o movimento dos preços dos metais
tenha um impacto material nas perspectivas para o terceiro trimestre,
que assume os preços do cobre (COMEX) e do alumínio (LME) de US$ 2,20 e
US$ 0,73, respectivamente. As taxas de câmbio de moeda estrangeira são
consideradas constantes nas perspectivas para o terceiro trimestre. As
perspectivas para o terceiro trimestre dos resultados operacionais
ajustados não incluem os resultados da Ásia-Pacífico e África.

Medidas financeiras não-GAAP

A receita operacional ajustada de operações continuadas (definida como
lucro operacional de operações continuadas antes de encargos
extraordinários, não recorrentes ou não usuais e outros itens
determinados), os lucros ajustados por ação de operações continuadas
(definidos como o lucro diluído por ação de operações continuadas antes
de encargos extraordinários, não recorrentes ou não usuais e outros
itens determinados) e a dívida líquida (definida como a dívida de longo
prazo, mais a parcela atual da dívida de longo prazo menos o caixa e os
equivalentes do caixa) são “medidas financeiras não-GAAP”, como definido
sob as regras da Securities and Exchange Commission (Comissão de Valores
Mobiliários). As receitas ajustadas dos metais, o lucro operacional
ajustado e o retorno sobre as vendas ajustadas de metais de forma
segmentada, medidas financeiras não-GAAP, também são aqui fornecidas.
Consulte “Informações por segmento”.

Estas medidas financeiras não-GAAP definidas pela empresa excluem, dos
resultados divulgados, os itens que a administração acredita que não
sejam indicativas do desempenho atual e estão sendo aqui fornecidas por
serem consideradas úteis pela administração na análise do desempenho
operacional da empresa e por serem compatíveis com a forma como a
administração analisa nossos resultados operacionais e as tendências
subjacentes dos negócios. O uso destas medidas financeiras não-GAAP pode
ser inconsistente com medidas similares apresentadas por outras empresas
e somente devem ser utilizadas em conjunto com os resultados informados
pela empresa, de acordo com os princípios GAAP. Os resultados ajustados,
para períodos anteriores ao quarto trimestre de 2015, refletem a remoção
do impacto das nossas operações na Venezuela de modo independente. A
partir do final do terceiro trimestre de 2015, desconsolidamos nossa
filial na Venezuela e passamos a ser responsáveis por nossos
investimentos nesta filial usando o método de custo para contabilização.
Os resultados históricos de nossas operações ajustadas no segmento da
Venezuela foram divulgados na Apresentação para Investidores do segundo
trimestre de 2016, disponível no site da empresa.

Uma reconciliação do lucro operacional GAAP (perda) de operações
continuadas e os ganhos diluídos (perda) por ação das operações
continuadas para o lucro operacional ajustado de operações continuadas,
além dos ganhos (perda) por ação de operações continuadas, são
apresentados a seguir:

 

Segundo trimestre de 2016 em relação ao segundo trimestre de
2015 e primeiro trimestre de 2016

 

 
2º Trimestre   1º Trimestre
2016   2015 2016
Lucro Lucro Lucro  
Em milhões, exceto valores por ação operacional EPS operacional EPS operacional   EPS
De operações continuadas US$ 58,1 US$ 0,68 US$ 23,7 US$ (0,03 ) US$ 15,3 US$ (0,17 )
Ajustes para a reconciliação do lucro operacional/EPS
Despesa de juros de dívida conversível não monetária (1) 0,01 0,01 0,01
Prejuízo (ganho) de mercado sobre instrumentos derivativos (2) (0,05 ) 0,04 (0,04 )
Encargos com reestruturação e indenizações (3) 16,7 0,25 9,3 0,10 14,1 0,19
Custos de atualização e forenses (4) 1,1 0,02 2,9 0,02 5,8 0,08
(Lucro) perda sobre venda de ativos (5) (46,5 ) (0,86 ) 11,6 0,13
Incentivos para novos clientes (6) 4,6 0,06
Acréscimo Lei Sobre Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA) (7) 5,0 0,09
Venezuela – (lucro)/perda(8) (0,6 ) (0,01 )
Ásia-Pacífico e África – (lucro)/perda (9)   14,6     0,16     3,5     0,04     6,4     0,12  
Total de ajustes   (9,1 )   (0,38 )   31,3     0,39     26,3     0,36  
Ajustado US$ 49,0   US$ 0,30   US$ 55,0   US$ 0,36   US$ 41,6   US$ 0,19  
 

A reconciliação a seguir do lucro operacional estimado de operações
continuadas e os ganhos diluídos por ação de operações continuadas para
o lucro operacional ajustado de operações continuadas e ganhos ajustados
por ação de operações continuadas para o terceiro trimestre de 2016
contém informações prospectivas. Todas as informações prospectivas
envolvem riscos e incertezas. Os resultados reais podem diferir
materialmente daqueles contemplados pelas informações prospectivas, como
resultado de fatores, riscos e incertezas sobre muitos dos quais não
temos controle. Consulte “Declaração de advertência com relação às
declarações prospectivas” no final de comunicado de imprensa.

 

Perspectivas para o terceiro trimestre de 2016 e terceiro
trimestre real de 2015

 

 
Perspectivas do
3o trimestre de 2016   2015 real
Lucro Lucro
Em milhões, exceto valores por ação operacional EPS operacional EPS
De operações continuadas US$ 32 – 47 US$ 0,06 – 0,26 US$ 17,1 US$ (0,69 )
Ajustes para a reconciliação do lucro operacional/EPS
Despesa de juros de dívida conversível não monetária (1) 0,01 0,01
Prejuízo (ganho) de mercado sobre instrumentos derivativos (2) 0,15
Encargos com reestruturação e indenizações (3) 6,0 0,05 14,2 0,27
Custos de atualização e forenses (4) 2,0 0,02 2,1 0,04
(Lucro) perda sobre venda de ativos (5) (6,0 ) (0,05 )
Perda sobre a desconsolidação da Venezuela (8) 12,0 0,25
Venezuela – (lucro)/perda (8) (0,8 ) (0,02 )
Ásia-Pacífico e África – (lucro)/perda (9)   1,0     0,01     2,8     0,25  
Total de ajustes   3,0     0,04     30,3     0,95  
Ajustado US$ 35 – 50   US$ 0,10 – US$ 0,30   US$ 47,4   US$ 0,26  
 
NOTA: as tabelas acima refletem os ajustes EPS com base na taxa de
imposto eficaz do ano inteiro da empresa para 2016 e 2015 de 50% e
40%, respectivamente.
(1)   O ajuste da empresa para a despesa de juros de dívida conversível
não monetária reflete o acréscimo da componente de capital das 2.029
notas conversíveis, o que é refletido na demonstração de resultados
como despesa de juros.
(2) Marcação a mercado (ganhos) e perdas sobre instrumentos derivativos
representam as mudanças do período corrente no valor justo de
instrumentos de commodities designados como hedges econômicos. A
empresa faz ajustes para as mudanças no valor justo destes
instrumentos de commodities, já que os ganhos associados aos
contratos subjacentes não foram registrados no mesmo período.
(3) Os custos de reestruturação e alienação representam os custos
associados a programas de reestruturação e alienação anunciados pela
empresa. Exemplos consistem de, mas não estão limitados a, os custos
com o afastamento de empregados, redução do valor nominal de ativos,
depreciação acelerada, reduções do valor nominal do capital,
equipamentos de deslocalização, rescisões de contrato, taxas de
consultoria e custos legais incorridos como resultado dos programas
de trabalho. A empresa se ajusta para esses encargos, já que a
administração acredita que estes custos não continuarão na conclusão
dos programas de reestruturação e alienação.
(4) Custos forenses e investigativos representam os custos incorridos
com consultoria jurídica e empresas de contabilidade forense em
associação com a consolidação das nossas demonstrações financeiras e
a investigação das Lei de Práticas Corruptas no Exterior. A empresa
se ajusta para esses encargos, já que a administração acredita que
estes custos não continuarão na conclusão das investigações que são
consideradas fora do curso normal das operações.
(5) Ganhos e perdas com a venda de ativos são o resultado do
desinvestimento de certas empresas da General Cable. A empresa se
ajusta para esses ganhos e perdas, já que a administração acredita
que os ganhos e as perdas são únicos em sua natureza e não ocorrerão
como parte das operações em curso.
(6) Novo incentivo ao cliente reflete uma taxa única relacionada a um
programa de intercâmbio de inventário da empresa executado dentro de
seu negócio de cabo de ignição automotivo. Lucro operacional da
empresa ajustado a este incentivo ao cliente, já que a administração
acredita que esta é uma taxa única que não irá ocorrer como parte
das operações em curso. Além disso, a empresa vendeu este negócio no
segundo trimestre de 2016.
(7) A provisão da Lei de Práticas Corruptas no Exterior (FCPA) é a
estimativa de lucros e os juros de pré-julgamento que podem ser
restituídos para solucionar a investigação em curso da empresa.
Consulte “Outros assuntos” na página 2 deste comunicado de imprensa.
A empresa se ajusta a esta provisão, já que a administração acredita
que esta é uma taxa única e não irá ocorrer como parte das operações
em curso.
(8) O ajuste da perda da Venezuela (receita) reflete a redução do
impacto das operações venezuelanas antes de sua desconsolidação,
efetiva a partir do final do terceiro trimestre de 2015. Em vigor a
partir do final do terceiro trimestre de 2015, a filial venezuelana
foi desconsolidada e contabilizada pelo método do custo da
contabilidade. A perda na desconsolidação da Venezuela é a taxa
única associada à desconsolidação. A empresa se ajusta para esta
perda, já que a administração acredita que a desconsolidação da
Venezuela foi um evento único em sua natureza e não ocorrerá como
parte das operações em curso.
(9) O ajuste exclui o impacto das operações nos segmentos Ásia-Pacífico
e África, que não são considerados “operações fundamentais”, de
acordo com a nova orientação estratégica da empresa. A empresa está
no processo de desenvestimento ou encerramento destas operações que
não se espera que continuem como parte das operações em curso. Para
fins de contabilidade, as operações continuadas na Ásia-Pacífico e
África (que consistem principalmente da empresa localizada na
África) não satisfazem os requisitos que devem ser apresentados como
operações descontinuadas.
 

Teleconferência e apresentação para investidores

A General Cable discutirá os resultados do segundo trimestre em uma
teleconferência que será transmitida ao vivo às 8h30, ET, no dia 4 de
agosto de 2016. O webcast ao vivo da teleconferência da empresa estará
disponível apenas no modo de escuta e pode ser acessado através da
página Relações com Investidores em nosso site www.generalcable.com.
Também disponível em nosso site uma cópia da Apresentação para
Investidores que será mencionada durante a teleconferência.

General Cable Corporation (NYSE:BGC) é líder global no desenvolvimento,
projeto, fabricação, comercialização e distribuição de sistemas e
produtos em fios e cabos de cobre, alumínio e fibra óptica para os
mercados de energia, industriais, especializados, construção e
comunicações. Visite nosso site em www.generalcable.com.

Declaração de advertência com relação às
Declarações Prospectivas

Certas declarações neste comunicado de imprensa são declarações
prospectivas que envolvem riscos e incertezas, preveem ou descrevem
eventos ou tendências futuras e que não dizem respeito unicamente às
questões históricas. Declarações prospectivas incluem, entre outros,
expectativas expressas quanto ao seguinte: “acreditar”, “esperar”,
“poder”, “irá”, “antecipar”, “pretender”, “estimar”, “projetar”,
“planejar”, “presumir”, “buscar” ou outras expressões semelhantes,
embora nem todas as declarações prospectivas contenham estas palavras
identificadoras. Os resultados reais podem diferir materialmente
daqueles discutidos nas declarações prospectivas, como resultado de
fatores, riscos e incertezas sobre muitos dos quais não temos controle.
Estes fatores incluem, mas não estão limitados a: a força econômica e
natureza competitiva dos mercados geográficos que a empresa atende, a
nossa habilidade para aumentar a capacidade de fabricação e
produtividade, a nossa capacidade para aumentar os preços de venda
durante os períodos de aumento dos custos das matérias-primas, a nossa
capacidade para atender e cumprir todos os requisitos abaixo, a nossa
dívida, e manter as linhas de crédito nacionais e internacionais
adequadas, o impacto de sentenças futuras inesperadas ou liquidações de
reclamações e litígios, o impacto das flutuações nas taxas de câmbio de
moeda estrangeira, o impacto de imparidades futuras, a conformidade com
as leis estrangeiras e com as leis americanas, incluindo a Lei Contra
Práticas de Corrupção no Exterior (Foreign Corrupt Practices Act), a
nossa capacidade de conseguir as economias previstas de custos,
eficiência e outros benefícios relacionados ao nosso programa de
reestruturação e outras iniciativas estratégicas, incluindo o nosso
plano para sair de todas as nossas operações na Ásia-Pacífico e África,
além de outros riscos detalhados de tempos em tempos nos registros da
empresa junto à Comissão de Valores Mobiliários (“SEC” – Securities and
Exchange Commission), incluindo, mas não limitado ao seu relatório anual
no Formulário 10-K protocolado junto à SEC em 29 de fevereiro de 2016, e
registros posteriores junto à SEC. Advertimos a todos que não depositem
confiança indevida nessas declarações prospectivas. A General Cable não
assume e aqui renuncia a qualquer obrigação, a menos que obrigada a
fazê-lo pelas leis de valores mobiliários aplicáveis, de atualizar
quaisquer declarações prospectivas, como resultado de novas informações,
eventos futuros ou outros fatores.

TABELAS PARA ACOMPANHAMENTO

 
General Cable Corporation e subsidiárias
Demonstrações consolidadas de operações
(em milhões, exceto dados por ações)
(não auditadas)
     
 
Trimestre fiscal findo em Semestre fiscal findo em
1o de julho de 3 de julho de 10 de julho de 3 de julho de
2016 2015 2016 2015
Vendas líquidas US$ 990,0 US$ 1.113,4 US$ 1.964,0 US$ 2.284,5
Custo das vendas   873,8     990,2     1.741,7     2.047,6  
Lucro bruto 116,2 123,2 222,3 236,9
 

Despesas de venda, gerais e administrativas

55,6 97,8 144,5 195,3
Taxa de deterioração do ágio 1,6
Despesas de depreciação de ativos intangíveis   2,5     1,7     2,8     1,7  
Lucro operacional (prejuízo) 58,1 23,7 73,4 39,9
Outras receitas (despesas) 9,1 (6,0 ) 7,7 (31,8 )
Receita (despesa) de juros:
Despesa de juros (22,7 ) (25,3 ) (44,2 ) (49,7 )
Receita de juros   0,3     0,5     0,6     1,0  
  (22,4 )   (24,8 )   (43,6 )   (48,7 )
 
Lucro (prejuízo) antes dos impostos dos rendimentos 44,8 (7,1 ) 37,5 (40,6 )
Benefício do imposto dos rendimentos (provisão) (11,4 ) 5,5 (12,2 ) 4,1
Equivalência nos ganhos líquidos (prejuízos) de empresas afiliadas   0,3         0,4     0,2  
Lucro líquido (prejuízo) de operações continuadas 33,7 (1,6 ) 25,7 (36,3 )
Lucro líquido (prejuízo) de operações descontinuadas, sem incluir
impostos
  (5,4 )   (6,8 )   (1,8 )   (13,0 )
Lucro líquido (prejuízo) incluindo participações minoritárias 28,3 (8,4 ) 23,9 (49,3 )
Menos: lucro líquido (prejuízo) atribuível participações minoritárias   (1,5 )   (1,5 )   (1,2 )   (4,3 )
Lucro líquido (prejuízo) atribuível aos acionistas ordinários da
empresa
US$ 29,8   US$ (6,9 ) US$ 25,1   US$ (45,0 )
Ganhos (prejuízo) por ação de operações continuadas
Ganhos (prejuízo) por ação ordinária – básico US$ 0,71   US$ (0,03 ) US$ 0,54   US$ (0,72 )
Média ponderada das ações ordinárias – básico   49,6     48,9     49,5     48,8  

Ganhos (prejuízo) por ação ordinária – presumindo diluição

US$ 0,68   US$ (0,03 ) US$ 0,52   US$ (0,72 )

Média ponderada das ações ordinárias – presumindo diluição

  52,1     48,9     52,0     48,8  
Ganhos (prejuízo) por ação atribuível aos acionistas ordinários
da empresa
Ganhos (prejuízo) por ação ordinária – básico US$ 0,60   US$ (0,14 ) US$ 0,51   US$ (0,92 )
Média ponderada de ações ordinárias – básico   49,6     48,9     49,5     48,8  

Ganhos (prejuízo) por ação ordinária – presumindo diluição

US$ 0,57   US$ (0,14 ) US$ 0,48   US$ (0,92 )

Média ponderada de ações ordinárias – presumindo diluição

  52,1     48,9     52,0     48,8  
 
 
General Cable Corporation e Subsidiárias
Demonstrações consolidadas de operações
Informações por segmento
(em milhões)
(não auditadas)
                 
Trimestre fiscal findo em   Semestre fiscal findo em
1o de julho de   3 de julho de 1o de julho de   3 de julho de
2016 2015 2016 2015
Receitas (conforme divulgado)
América do Norte US$ 530,9 US$ 609,4 US$ 1.069,1 US$ 1.247,6
Europa 229,5 250,9 451,4 512,7
América Latina 168,2 188,8 323,2 394,1
Ásia-Pacífico e África   61,4     64,3     120,3     130,1  
Total US$ 990,0   US$ 1.113,4   US$ 1.964,0   US$ 2.284,5  
 
Receitas (ajustadas para metal) (1)
América do Norte US$ 530,9 US$ 561,3 US$ 1.069,1 US$ 1.141,1
Europa 229,5 235,1 451,4 478,9
América Latina 168,2 163,2 323,2 338,4
Ásia-Pacífico e África   61,4     55,8     120,3     112,8  
Total US$ 990,0   US$ 1.015,4   US$ 1.964,0   US$ 2.071,2  
 
Libras de metal vendidas
América do Norte 137,3 138,7 279,3 284,8
Europa 40,8 41,4 79,0 83,1
América Latina 63,9 56,7 119,0 125,1
Ásia-Pacífico e África   22,9     16,4     41,9     33,8  
Total   264,9     253,2     519,2     526,8  
 
Lucro operacional (prejuízo)
América do Norte US$ 73,8 US$ 30,9 US$ 91,5 US$ 60,5
Europa (1,5 ) (1,2 ) 6,2 4,7
América Latina 0,4 (2,5 ) (3,3 ) (18,4 )
Ásia-Pacífico e África   (14,6 )   (3,5 )   (21,0 )   (6,9 )
Total US$ 58,1   US$ 23,7   US$ 73,4   US$ 39,9  
 
Lucro operacional ajustado (prejuízo) (2)
América do Norte US$ 40,1 US$ 43,8 US$ 71,6 US$ 82,7
Europa 8,6 11,2 19,9 26,2
América Latina   0,3         (0,9 )   (5,5 )
Total US$ 49,0   US$ 55,0   US$ 90,6   US$ 103,4  
 
Retorno sobre vendas ajustadas de metal (3)
América do Norte 7,6 % 7,8 % 6,7 % 7,2 %
Europa 3,7 % 4,8 % 4,4 % 5,5 %
América Latina 0,2 % 0,0 % -0,3 % -1,6 %
Total 5,3 % 5,7 % 4,9 % 5,3 %
 
Despesas de capital
América do Norte US$ 9,5 US$ 5,0 US$ 16,5 US$ 11,6
Europa 4,8 5,5 8,9 8,5
América Latina 3,5 1,1 6,6 6,7
Ásia-Pacífico e África       0,5     0,1     3,5  
Total US$ 17,8   US$ 12,1   US$ 32,1   US$ 30,3  
 
Depreciação e amortização
América do Norte US$ 11,0 US$ 10,3 US$ 21,9 US$ 20,6
Europa 5,8 5,9 11,4 13,9
América Latina 4,3 4,9 8,4 10,1
Ásia-Pacífico e África   0,5     1,5     1,1     2,8  
Total US$ 21,6   US$ 22,6   US$ 42,8   US$ 47,4  
 
Receitas por principais linhas de produtos
Concessionária de energia elétrica US$ 357,8 US$ 373,3 US$ 708,9 US$ 763,6
Infraestrutura elétrica 256,2 318,7 535,9 662,2
Construção 189,5 221,0 362,4 439,3
Comunicações 126,2 142,3 240,7 280,3
Produtos de laminador de vergalhão   60,3     58,1       116,1     139,1  
Total US$ 990,0   US$ 1.113,4     US$ 1.964,0   US$ 2.284,5  
 
(1) Receita ajustada pelo metal, uma medida financeira não-GAAP,
é fornecida para eliminar uma estimativa da volatilidade dos preços
do metal a partir da comparação da receita de um período para outro.
Receita ajustada pelo metal, uma medida financeira não-GAAP, é
fornecida a fim de eliminar uma estimativa da volatilidade dos
preços do metal a partir da comparação da receita de um período para
outro.
(2) A receita operacional ajustada (prejuízo) é uma medida
financeira não-GAAP. A empresa está fornecendo a receita operacional
ajustada (prejuízo) em base de segmento, porque a administração
acredita que é útil na análise do desempenho operacional do negócio
e consistente com a forma como a administração revisa as tendências
de negócio implícitas. Uma reconciliação do lucro operacional
divulgado do segmento (prejuízo) até o lucro operacional ajustado do
segmento (prejuízo) é fornecida no anexo da Apresentação para
Investidores do primeiro trimestre de 2016, localizada no site da
empresa.
(3) O retorno sobre as vendas ajustadas de metal foi calculado
sobre a receita operacional ajustado (prejuízo).
 
GENERAL CABLE CORPORATION E SUBSIDIÁRIAS
Balanços patrimoniais consolidados
(em milhões, exceto dados por ação)
  1o de julho   31 de dezembro
Ativos de 2016   de 2015
Ativos circulantes: (não auditados)
  Caixa e equivalentes de caixa US$ 62,8 US$ 79,7

Contas a receber, líquido de subsídios de US$ 16 milhões em 1o de
julho de 2016 e US$ 17,6 milhões em 31 de dezembro de 2015

753,2 686,9
Estoques 771,5 807,8
Despesas antecipadas e outras 102,0 62,1
Ativos circulantes de operações descontinuadas   90,0     103,9  
  Total de ativos circulantes 1.779,5 1.740,4
Propriedades, plantas e equipamentos, líquido 506,3 523,5
Impostos diferidos sobre o rendimento 18,2 20,6
Fundo de comércio 19,7 22,2
Ativos intangíveis, líquido 36,5 36,6
Empresas afiliadas não consolidadas 8,8 8,4
Outros ativos não circulantes 41,5 46,0
Ativos não circulantes de operações descontinuadas   56,1     56,9  
Total de ativos US$ 2.466,6   US$ 2,454.6  

Passivo e patrimônio líquido

Passivo circulante:
Contas a pagar US$ 427,7 US$ 411,4
Passivos acumulados 360,1 331,4
Parcela atual da dívida de longo prazo 133,8 154,9
Passivo circulante de operações descontinuadas   25,9     51,6  
Total do passivo e patrimônio líquido 947,5 949,3
Dívida de longo prazo 890,3 911,6
Impostos diferidos sobre o rendimento 145,5 145,3
Outros passivos 178,9 185,6
Passivo não circulante de operações descontinuadas   1,8     1,7  
Total do passivo financeiro   2.164,0     2.193,5  
Compromissos e Contingências
Participação minoritária resgatável 18,2 18,2
Total do patrimônio líquido:
Ações ordinárias, ações emitidas e em circulação com valor nominal
de US$ 0,01:
1o de julho de 2016 – 49.286.436 (líquido de 9.523.530 ações em
tesouraria)
31 de dezembro de 2015 – 48.908.227 (líquido de 9.901.739 ações em
tesouraria)
0,6 0,6
Capital integralizado adicional 713,7 720,5
Ações em tesouraria (171,7 ) (180,1 )
Lucro acumulado 34,5 27,2
Outros prejuízos abrangentes acumulados   (306,3 )   (340,2 )
Patrimônio líquido total dos acionistas da empresa 270,8 228,0
Participações minoritária   13,6     14,9  
Total do patrimônio   284,4     242,9  
Total passivo, participação minoritária resgatável e patrimônio
líquido
US$ 2.466,6   US$ 2.454,6  
 

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada.
As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se
referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que
tem efeito legal.

Contato:

General Cable Corporation
Len Texter, 859-572-8684
Vice-presidente
sênior, setor financeiro e relações com investidores

Fonte: BUSINESS WIRE

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s