Made in Brazil: maioria das lojas virtuais escolhe hospedagem brasileira

Cresce o interesse das lojas virtuais por hospedagem brasileira

Por Thoran Rodrigues*

Uma das primeiras decisões que o empreendedor deve tomar ao criar uma loja virtual é escolher sua fornecedora de hospedagem. Apesar de parecer muito simples, esta decisão influencia muito na imagem, credibilidade e, principalmente, na rentabilidade do negócio, já que o serviço pode ser considerado o “coração” do site, que o mantém em pleno funcionamento para que compras sejam realizadas sem problemas.

Tendo em mente a importância, é mais provável que o investimento neste segmento seja feito em hosts com mais estrutura, tecnologia, estabilidade e com preço acessível. Observando os últimos dois anos, é possível notar que a preocupação com o serviço de hospedagem vem aumentando, assim como uma mudança na hora de escolher.

Em 2015, por exemplo, 45% dos e-commerces brasileiros buscaram companhias norte-americanas para hospedar seus negócios virtuais, enquanto apenas 28% deram preferência às brasileiras e 26% optaram por fornecedores de outros locais. Em 2016, essa distância diminuiu drasticamente: 44% dos lojistas contrataram as empresas brasileiras para realizar este serviço, 45% preferiram as americanas e 10% de outros países.

Embora pareça uma boa notícia, os motivos que acarretaram estas alterações tão expressivas não são tão animadores. A situação econômica do país, a alta do dólar e o aumento dos impostos sobre a comercialização do serviço de hospedagem tornam mais interessante para os lojistas manter um site aqui, uma vez que o custo é menor.

Além disso, esta vantagem das brasileiras diante das organizações estrangeiras pode ser passageira. Caso o dólar volte a cair, a probabilidade é que as lojas virtuais adotem os provedores de hospedagem estrangeiros, pois a qualidade dos serviços prestados por eles ainda é superior.

Isto, no entanto, não deve desanimar os hosts nacionais. Diante do crescimento de interesse dos comércios eletrônicos brasileiros, a oportunidade de se consolidarem neste mercado torna-se mais ampla.

Para isso, as locadoras de espaço virtual do Brasil precisam investir em funcionalidades e tecnologia, a fim de ter mais estabilidade nos sistemas. Dessa forma, tornam-se mais competitivas para brigar pela permanência de seus clientes e uma melhoria no mercado de forma geral.

*Thoran Rodrigues é CEO da BigData Corp., empresa especializada em ferramentas de Big Data – www.bigdatacorp.com.br

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s