Painel debate necessidades e expectativas das empresas de capital aberto

Iniciando o segundo dia do 18º Encontro Nacional de Relações com Investidores e Mercado de Capitais, o painel “Empresas de Capital Fechado – Necessidades de Capital e Expectativas” debateu o atual cenário macroeconômico e político brasileiro e a importância da transparência e da governança para o crescimento das companhias de capital fechado.

São Paulo, 29 de junho de 2016 – Iniciando o segundo dia do 18º Encontro Nacional de Relações com Investidores e Mercado de Capitais, o painel “Empresas de Capital Fechado – Necessidades de Capital e Expectativas” debateu o atual cenário macroeconômico e político brasileiro e a importância da transparência e da governança para o crescimento das companhias de capital fechado.

“Nos últimos anos, o país tem apresentado ciclos de variação econômica e política muito curtos, o que invariavelmente dificulta a realização de um planejamento eficiente em longo prazo”, afirmou Joaquim de Oliveira, sócio das áreas Bancário e Financiamentos, Mercado de Capitais, Fusões e Aquisições e Private Equity da Souza Cescon Advogados.

Governança e transparência

A efetivação de práticas de governança nas companhias de capital fechado, assim como ocorre em empresas listadas, tem se mostrado um processo extremamente relevante. “Quando se abre o capital, tem-se acesso a recursos de longo prazo, mas sem a pressão por retorno mais imediato, além da opção por ampliação de recursos e maior poder de barganha com as instituições bancárias”, destacou Thomas Brull, diretor da AEGEA. No entanto, ele lembrou que essa “vantagem” traz consigo a necessidade de muito mais disciplina na gestão dos ativos e da empresa, bem como mais qualidade e clareza na prestação de contas.

Sidney Chameh, sócio-fundador da DGF Investimentos, destacou a importância da transparência, da governança e do compartilhamento de informações como aspectos essenciais à sobrevivência de uma empresa em um mercado tão instável e, ao mesmo tempo, competitivo como o brasileiro. “Diariamente, vemos dificuldades como falta de infraestrutura, problemas com legislação, falta de perspectiva. Ou seja, aspectos que tornam o planejamento das companhias cada vez mais difícil e, por isso, imprescindível. Quem consegue sobreviver neste mercado, apesar de todas as adversidades, pode se considerar um grande vencedor”, afirmou Chameh.

Oportunidades de negócios

Embora essas adversidades possam ser vistas, em um primeiro momento, sob um viés negativo, o head hunter da Flow, Thiago Pimenta, alertou para a necessidade de estar atento às oportunidades que podem surgir. “É inegável que o país está passando por um período bastante turbulento, que mescla instabilidade política e econômica, redução das taxas de confiança, companhias perdendo market share, falta de liquidez, entre outros aspectos. No entanto, este também é um momento que oferece muito aprendizado àqueles que estiverem atentos e dispostos a aprender com as dificuldades”, ponderou Pimenta.

A mesma visão é compartilhada por Joaquim de Oliveira, da Souza Cescon Advogados. “As últimas duas décadas foram marcadas por intensas transformações, representando um avanço significativo no tocante à questão regulatória e ao próprio mercado. Acredito que, mesmo diante de um cenário conturbado como o atual, haja um ambiente propício às empresas menores de capital fechado”, diz o executivo.

Oportunidades de trabalho

Pimenta, da Flow, ressaltou que o momento também é bastante adequado às empresas que buscam construir times de alto desempenho, uma vez que muitos profissionais altamente capacitados estão disponíveis no mercado ou em busca de novos desafios profissionais.

Este ponto foi reforçado pela fala dos demais participantes do painel, que reforçaram a necessidade de as empresas reterem talentos no mercado nacional. Com a atual crise, muitas companhias estão abrindo mão de seus profissionais, que passam a buscar alternativas no mercado externo. Para os palestrantes, existe uma onda de pessimismo tomando conta de todos e que isso impede que se vejam as possibilidades que podem vir a partir da crise, dificultando a visualização de alternativas.

“Isso quase sempre é seguido pelo desejo de sair do país em busca de oportunidades. Essa decisão representa, do ponto de vista das companhias e do mercado, de modo geral, a perda de talentos; porém, representa oportunidades para aqueles que optam por ficar”, ponderou Pimenta.

Nova atribuição ao RI

Outro aspecto debatido foi a necessidade de o profissional de Relações com Investidores (RI) adotar uma nova atribuição, que é se comunicar não apenas com os investidores, mas também com todos os demais públicos da companhia que ele representa. “Este profissional tem, por princípio, a necessidade de estar a par de todos os aspectos relevantes de sua empresa e isso envolve não apenas temas de cunho financeiro”, disse Joaquim de Oliveira.

“Os RI também poderiam se comunicar com o mercado, transcendendo a noção de mercado financeiro e ampliando sua atuação e representatividade”, concluiu Thiago Pimenta.

Sobre o Encontro Nacional de RI e Mercado de Capitais: ponto de encontro entre agentes do mercado de capitais, o evento propõe neste ano debater temas como a necessidade do profissional de RI se adaptar a demandas dos investidores, especialmente nas áreas de risco, compliance e jurídica.

O Encontro Nacional é patrocinado pelas empresas: BM&FBovespa, Bloomberg, BNY Mellon, Bradesco, Chorus Call, Crowe Horwath, Deloitte, Diligent, Itaú Unibanco, MZ Boardvantage, RIWeb, RR Donnelley, Sabesp, Saint Paul Editora, Souza Cescon, SulAmérica, TheMediaGroup, Valor Econômico e Wittel.

Serviço
18º Encontro Nacional de RI e Mercado de Capitais – IBRI e ABRASCA
Data: 28 e 29 de junho de 2016
Horário: das 14h às 19h (28/06) e das 9h às 17h30 (29/06)
Local: Fecomercio (Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – Bela Vista – São Paulo – SP)
Mais informações: www.encontroderi.com.br
Credenciamento de Imprensa – rodney@digitalassessoria.com.br

Assessoria de Comunicação do IBRI
Digital Assessoria-Comunicação Integrada
Rodney Vergili | Paula Craveiro | Natália Martins | Jennifer Almeida
rodney@digitalassessoria.com.br

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s