Vendas de imóveis no DF reagem e empresas fecham mais negócios, mostra Pesquisa IVV – Índice de Velocidade de Vendas

Total de imóveis em oferta reduz em mais de 1.000 unidades, o que pode pressionar aumento de preços em alguns segmentos e localidades do DF. IVV de maio para unidades residenciais é o maior da série histórica no DF.

O mês de maio registrou o maior Índice de Velocidade de Vendas do Setor Imobiliário do Distrito Federal desde que a Pesquisa IVV foi iniciada, janeiro de 2015. Isso significa que os negócios do setor estão reagindo positivamente. O IVV dos imóveis residenciais de maio foi de 6,2%, representando um salto em relação a abril, que foi de 4,9%, e também em comparação com abril de 2015 (4,5%). O IVV considerado “realista” para o mercado imobiliário é de 5%. A Pesquisa IVV é a única que acompanha em detalhes o mercado imobiliário do DF.

Nos primeiros cinco meses de 2016, a velocidade média de vendas foi 31% maior do que no mesmo período de 2015. Além disso, o IVV acumulado no 1º trimestre de 2016 é 20% superior ao IVV de todo o ano de 2015.

Essa estatística anima os empresários da área imobiliária, da construção civil e também da cadeia produtiva, uma vez que é positiva a perspectiva para novos negócios. Segundo Paulo Muniz, Presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI-DF), “a velocidade de vendas é um indicador sólido para medir o “comportamento” dos negócios e, portanto, a pesquisa de maio é positiva. Já há sinais de que o mês de junho apresentou velocidade de vendas também otimistas e em breve iremos divulgar. Uma das maiores empresas imobiliárias do DF, por exemplo, registrou IVV de 8% em maio”.

Em maio, as regiões que registraram maior aceleração de vendas foram Gama, Samambaia, Águas Claras e Noroeste. Paulo Muniz analisa que há uma grande carência por imóveis no DF e as mudanças no cenário político nacional começam a inspirar maior confiança na população, que passou a procurar mais por unidades para compra. É o que relatam várias empresas associadas à ADEMI-DF, com base nas apurações realizadas nos estandes de vendas espalhados pelo DF.

Mesmo assim, o setor imobiliário vive um “otimismo cauteloso”, diz o dirigente da ADEMI-DF. Segundo ele, as vendas poderiam ser até mais expressivas, porém, faltam lançamentos. “As empresas estão vendendo basicamente imóveis prontos e, com isso, a oferta está baixando. Certamente ocorrerá elevação de preços dos imóveis em diversas localidades do DF, em razão de eventual desequilíbrio entre oferta e procura”, informa. As associadas da ADEMI-DF aprovaram um número inexpressível de projetos nos últimos anos e com as mudanças efetuadas pelo governo de Brasília, nos últimos 90 dias, o número de projetos aprovados melhorou consideravelmente sinalizando futuros lançamentos.

Em 2015 o total aproximado de imóveis novos em oferta no DF era de 10.500; atualmente há pouco mais de 9.200 unidades. “Em 2016, apenas sete lançamentos imobiliários foram anunciados no DF. A Pesquisa IVV nos mostra que o cenário está mudando. É importante lembrar que os lançamentos de hoje levarão em média 36 meses para entrega dos imóveis, por isso o momento de comprar é agora”, avalia Paulo Muniz.

A Pesquisa IVV acompanha mensalmente o ritmo de vendas de imóveis novos nas várias regiões administrativas do DF, considerando lançamentos e os em oferta. A amostra é bem expressiva, abrangendo aproximadamente 50% do mercado local (formado por cerca de 60 incorporadoras). As vendas dos imóveis são informadas pelas incorporadoras participantes da pesquisa, conduzida pela ADEMI-DF e pelo SINDUSCON-DF – Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF, com apoio do SEBRAE-DF. A empresa Opinião Informação Estratégica é responsável pela coleta, tabulação e análise das informações, obtidas junto às empresas que aderiram voluntariamente ao projeto.

DADOS DA PESQUISA

A pesquisa do IVV tem o objetivo de aferir os negócios de imóveis novos residenciais e comerciais no DF e se a velocidade com que são vendidos está de acordo com as expectativas. Há, portanto, um IVV para imóveis residenciais e um IVV para imóveis comerciais. O IVV dos imóveis residenciais em maio foi de 6,2% e o IVV dos comerciais foi de 1,8%.

Os dados mais recentes da Pesquisa se referem a maio de 2016. Naquele mês foram ofertadas 4.072 unidades residenciais e vendidas 251; também foram ofertadas 1.018 unidades comerciais e 18 imóveis vendidos. As quantidades de imóveis informadas nos gráficos a seguir se referem aos negociados pelas empresas participantes da pesquisa e não representam o total de imóveis em oferta ou negociados em todo o DF (isso em razão de a pesquisa ainda não abranger 100% das incorporadoras). Os percentuais informados podem ser projetados para representação de todo o mercado imobiliário do DF.

Valor do m²

Entre várias informações do mercado imobiliário do DF, a pesquisa aponta a variação do preço ofertado por m² dos imóveis residenciais em cada região, em maio. Na Asa Norte foi registrado o maior valor: R$ 15.119,69 (preço de oferta dos imóveis); o mais baixo foi ofertado em Santa Maria – R$ 2.982,48.

Oferta de imóveis novos

Em maio, havia 4.072 imóveis residenciais à venda pelas empresas consideradas na amostra da pesquisa (gráfico a seguir), uma pequena elevação em relação ao mês de abril.

Vendas totais

Em maio, foram vendidas 251 unidades pelas empresas avaliadas. O número teve uma elevação quando comparado com abril de 2016 e a abril de 2015.

IVV COMERCIAL

O IVV dos imóveis comerciais no mês de abril chegou a 1,8%. Foram 1.018 unidades ofertadas e 18 unidades vendidas (gráfico a seguir), desempenho pouco superior ao de abril. Os dados foram informados pelas empresas participantes.

Pesquisa útil para compradores e vendedores de imóveis

A pesquisa do IVV é útil para compradores de imóveis, para as autoridades do DF, para incorporadores de imóveis, bem como para toda a cadeia produtiva, pois sinaliza o comportamento do mercado de forma global e setorizado por região administrativa e por tipo de planta, indicando onde há demanda por novas construções e de quais tipologias. Até a iniciativa da ADEMI-DF, do SINDUSCON-DF e do SEBRAE-DF, não havia dados consolidados desse importante mercado, gerador de negócios, empregos e renda, em que se destacam as pequenas empresas.

Com a pesquisa, que pode ser acessada no site da ADEMI-DF (www.ademidf.com.br) e também no das demais entidades parceiras, os compradores terão acesso a informações úteis para planejar com mais consistência a realização do sonho da casa própria ou a compra do escritório ou loja.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s