Bolsa de Tóquio lidera perda na Ásia, seguida por Xangai

A continuidade do enfraquecimento da economia da China e a falta de novas medidas de estímulos no Japão pressionaram as principais bolsas asiáticas.

São Paulo – A continuidade do enfraquecimento da economia da China e a falta de novas medidas de estímulos no Japão pressionaram as principais bolsas asiáticas, levando a Bolsa de Tóquio a registrar a maior queda entre as praças acionárias.

O índice Nikkei caiu 2,1%, aos 18.683,24 pontos, liderado por setores vistos como termômetros da economia nacional: serviços públicos, empresas financeiras e empresas de consumo discricionário. As perdas refletiram a decepção dos investidores após o Banco Central do Japão (BoJ, na sigla em inglês) não ter anunciado estímulos adicionais na sexta-feira.

Na China, o índice Xangai Composto recuou 1,66%, aos 3.326,49 pontos, diante de dados que mostram que a economia do país segue enfraquecida. No mesmo sentido, em Hong Kong, o índice Heng Seng caiu 0,6% para 22.504 pontos.

Foi divulgado hoje que o índice de atividade dos gerentes de compras do setor industrial (PMI, na sigla em inglês) da China subiu para 48,3 na leitura final de outubro, de 47,2 em setembro, de acordo com a Caixin Media (antes HSBC). Apesar da melhora, o resultado atingiu o oitavo mês seguido abaixo da marca de 50,0, o que indica contração da atividade. Mesmo assim, essa foi deterioração mais fraca desde junho.

Já o PMI oficial de outubro, divulgado na madrugada de domingo, permaneceu no nível de setembro, em 49,8. No entanto, uma queda inesperada no nível de atividade fora das fábricas – que recuou de 53,4 para 53,1, na mesma base comparativa – abalou o humor dos investidores.

“Há um grande pessimismo de que a economia continuará a abrandar no quarto trimestre”, disse Evan Lucas, analista de mercado da corretora IG.

No domingo, o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, disse que o país vai crescer a um ritmo de “pelo menos” 6,5% ao ano nos próximos cinco anos, marcando a primeira vez que os líderes da China fazem a previsão publicamente e ainda fornecem uma meta de crescimento anual inferior a 7% nos próximos anos.

Na Coreia do Sul, o movimento foi de alta, levando o índice Kospi a fechar com alta de 0,3%, aos 2.035,24 pontos. Por lá, as ações da Samsung subiram 4,2%, uma vez que é esperado que a empresa arrecade mais de US$ 2 bilhões na venda de 90% de sua atividade no setor químico para a companhia Lotte Chemical, bem como 15% de sua participação na Samsung Fine Chemicals.

Na Oceania, o índice S&P/ASX 200 da Austrália perdeu 1,4%, aos 5.165,75 pontos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s