Dólar cai ante real após Congresso aprovar nova meta fiscal

Às 10h14, o dólar recuava 0,50%, a 3,5578 reais na venda, após cair 0,19% na sessão passada. O dólar futuro recuava cerca de 0,4%

O dólar recuava frente ao real nesta quarta-feira, após o governo do presidente interino Michel Temer passar por seu primeiro teste no Congresso Nacional com a aprovação de meta de déficit primário de 170,5 bilhões de reais para este ano e em meio ao bom humor nos mercados externos.

A queda era limitada, porém, porque operadores evitavam fazer grandes apostas antes do feriado de Corpus Christi, que manterá os mercados fechados na quinta-feira e deve limitar a liquidez na sexta-feira.

Às 10h14, o dólar recuava 0,50%, a 3,5578 reais na venda, após cair 0,19% na sessão passada. O dólar futuro recuava cerca de 0,4%.

“Agora passou a lua-de-mel e o governo Temer está dando os primeiros passos no Congresso, começando a tomar as medidas concretas”, disse o superintendente de câmbio da corretora Intercam, Jaime Ferreira.

O Congresso aprovou na madrugada desta quarta-feira a nova meta fiscal para este ano, alterando a meta original de superávit primário de 24 bilhões de reais.

Muitos operadores temiam que o processo fosse turbulento, considerando que a Comissão Mista de Orçamento (CMO) cancelou duas vezes nesta semana sessão que analisaria o tema.

Ainda assim, investidores continuavam cautelosos em relação às perspectivas políticas brasileiras e ressaltaram que os esforços para reequilibrar as contas públicas ainda podem enfrentar muitas dificuldades no Legislativo.

Na segunda-feira, o governo propôs as primeiras medidas econômicas nesse sentido, incluindo limitação dos gastos públicos, incluindo saúde e educação, e recursos do BNDES e do Fundo Soberano.

O dólar também recuava em outros mercados emergentes, com a alta dos preços de commodities como o petróleo alimentando a demanda por ativos de maior risco, como aqueles denominados em moedas emergentes.

No Brasil, porém, o impacto do bom humor era limitado pela cautela pré-feriado, especialmente levando em conta o noticiário político intenso dos últimos meses. O volume de negócios estava baixo, mantendo a tendência vista nas últimas semanas.

“Ninguém quer ficar exposto e ser pego de costas por outra denúncia, outra crise”, disse o operador de uma corretora internacional.

O Banco Central não anunciou qualquer intervenção cambial para esta sessão, mantendo-se ausente do mercado pela quinta sessão consecutiva.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s